• Pr. Davi Merkh

Dicas Homiléticas para Pregação Virtual


Como professor de seminário, já cansei de ouvir a crítica de pastores que reclamam “O seminário nunca me ensinou _________!”


Mas como pastor e pregador, preciso admitir que o seminário realmente nunca me ensinou como “Pregar a Palavra” em meio a uma pandemia! Mas, como meus colegas pastores e professores, estou aprendendo. Às vezes, de forma muito lenta. Especialmente por ser um “imigrante digital” e não “nativo” como a geração mais jovem. Mas aos poucos, todos nós estamos aperfeiçoando nossas habilidades homiléticas online.


Mesmo que muitas igrejas e escolas tenham retornado às atividades presenciais, a paisagem homilética alterou-se para sempre com o advento da COVID-19. Precisamos nos adaptar às novas realidades, novas oportunidades e novos meios de comunicação se queremos impactar nossa geração com a Palavra eterna. O Apóstolo Paulo também aprendeu a ministrar remotamente quando encarcerado em Roma. Hoje temos as Epístolas da Prisão – Efésios, Filipenses, Colossenses e Filemom – como resultado. Com Paulo, podemos dizer, “Embora ausente quanto ao corpo, contudo em espírito [ou via Zoom] estou convosco” (Cl 2.5).


Nos últimos meses, tenho participado de múltiplas dezenas de transmissões de mensagens, devocionais, aulas, conferências e entrevistas em diversas plataformas como Zoom, Google Meet, Instagram, YouTube, Facebook e mais. Como resultado, e em resposta aos pedidos dos meus alunos, eu gostaria de compartilhar algumas dicas que tenho aprendido e estou aprendendo. Longe de ser um expert, tenho sido abençoado por vários amigos e autores que oferecem sugestões práticas para todos que querem melhorar sua comunicação da Palavra viva do Senhor vivo em plataformas virtuais.[i]


Primeiro, vamos tratar de algumas lembranças de princípios que se aplicam tanto no ministério presencial como virtual, mas que somos tentados a esquecer neste momento. Segundo, veremos algumas observações sobre o que tem mudado e deve mudar neste novo mundo homilético.


Lembranças


Pregue a Palavra


Algumas coisas podem mudar no ministério da Palavra online – gestos, volume, duração da mensagem, tipos de feedback - mas a Palavra de Deus continua viva e eficaz (Hb 4.12). Nosso chamado de pregar a Palavra continua (2 Tm 4.2). A exposição bíblica, que implica em explicação aplicada, assumirá formas diferentes nas plataformas virtuais, mas sempre será o nosso foco. Modificamos os métodos mas não a mensagem.


Dependa do Espírito e da Palavra


É fácil ficar intimidado diante às novas técnicas e novos desafios na pregação virtual. Ao mesmo tempo que parece que tudo mudou, nada mudou. A tarefa é a mesma. Pregamos a Palavra no poder do Espírito para glorificar a Deus, exaltando Seu Filho, Jesus. Assim como o Apóstolo Paulo, não dependemos de eloquência ou tecnologia humana mas do Espírito (1 Co 2.1-5). Nosso foco é a transmissão da mensagem de forma tão clara quanto possível. Por isso, lidamos com ansiedade pela oração (Fp 4.6,7). Entregamos a Deus a equipe, a tecnologia, o ambiente e o palestrante antes da filmagem. Agradecemos a Deus depois, enquanto clamamos a Ele que use Sua Palavra para transformar vidas.


Seja Real


Em meio a um mundo surreal que virou de ponta-cabeça, as pessoas anseiam algo natural e real. Você É a mensagem! Se for gravar uma live da sua sala de estar, receba as pessoas em sua casa com calor humano, roupas “normais” e naturalidade. Permita que vejam os ambientes da sua casa, fotos da sua família no fundo, sua vida normal. Converse com elas como amigos sentados com você na sala. Evite uma sofisticação artifical, linguagem robusta “espiritual” e chavões.


Fale à Família da Fé E aos Curiosos


Ministério no mundo virtual precisa lembrar que o que for transmitido tem a possibilidade de alcançar não somente os membros da igreja, a família da fé, mas também multidões de outras pessoas, crentes e descrentes, pessoas amigas e também hostis. Evite referências pessoais e particulares ininteligíveis para pessoas “de fora” ou que poderiam ser tiradas fora do contexto ou ser desnessariamente ofensivas. Tome cuidado que histórias e anedotas sobre pessoas e eventos, que antes do advento do mundo virtual ficariam no anonimato, agora poderiam ser facilmente desvendadas na internet.


Fuja da Cobiça e da Comparação


O mundo homilético virtual é um grande nivelador. Tanto o pastor da igreja pequena como o da mega-igreja terão suas ministrações disponívéis para uma audiência global. Mas o pastor da mega-igreja provavelmente terá uma equipe e equipamentos sofisticados para uma produção quase profissional. Isso pode causar desânimo se o pastor com menos condições tecnológicas cair na tentação da cobiça e da comparação (2 Co 10.12). Mas Deus não nos chamou para ser produtores de Globo e, sim, pregadores da Palavra, de forma pura, simples e fiel (2 Tm 2.15; 1 Co 4.1,2). Faça isso da melhor forma possível, dentro das suas condições, e deixe os resultados com Ele.


Lembre-se: Estatísticas Enganam e Seduzem


Em algumas plataformas, para constituir como uma visualização, basta assistir o vídeo durante somente três segundos. Ao mesmo tempo, uma família de quatro ou cinco pessoas que assiste uma hora de culto só conta como uma visualização.


Alguns líderes podem ser tentados a viver os altos e baixos conforme o número de acessos à mensagem. Outros serão tentados a mudar a mensagem para atrair mais pessoas. Mas não somos chamados para atrair pessoas mas para sermos fiéis na ministração da Palavra. Visualizações representam pessoas, é claro, e pessoas são o alvo do nosso ministério; por isso as estatísticas devem ser levadas em consideração, mas não devem ser causa de orgulho ou desânimo.


Não pense que o simples fato de que sua transmissão esteja no livestream que milhões de pessoas estarão assistindo. E não se desanime quando a live que se esforçou tanto para preparar tem somente dois participantes. Pregue a Palavra, seja para um ou um milhão.


Dicas Homiléticas


Ao mesmo tempo que alguns princípios e várias práticas não mudam, essa nova era de pregação virtual exige modificações e adaptações homiléticas, como veremos a seguir. Ao mesmo tempo que alguns desafios são novos, a possibilidade de atingir audiências exponencialmente maiores exige seriedade e excelência na pregação da Palavra.


Prepare-se para receber zero feedback durante a mensagem


O comunicador que se alimenta e motiva pelo retorno audível e/ou visível durante a ministração presencial, sofre muito quando prega para uma câmera “pagã”. Nenhum “Amém, irmão!”, nenhuma risada diante de uma piada, nenhum sorriso, ou lágrima, ou olhar confuso para ajudar o comunicador a avaliar sua entrega e a compreensão dos ouvintes. Nestes momentos, seria até preferível ter alguém dormindo na sua frente do que só aquela câmera inerte.


A ausência de um retorno faz com que alguns pregadores sintam ainda mais dificuldade no momento da aplicação da mensagem. Fica mais difícil (e por isso, exige ainda MAIS preparo) imaginar como o texto toca na vida de pessoas invisíveis quando prega para uma sala vazia. Por isso, manter uma lista de nomes ou fotos de pessoas típicas da congregação diante de si durante a ministração pode ajudar muito na hora da aplicação.


Imagine uma multidão de pessoas em constante fluxo durante a mensagem.


O pregador virtual precisa lembrar que sua audiência provavelmente consiste de pessoas de pijama chegando 15 minutos depois do início do encontro, famílias lanchando ao redor da mesa, visitantes entrando e saíndo por uma porta giratória no fundo do auditório, pessoas distraídas atendendo chamadas, enviando recados ou simplesmente tentando prestar atenção à mensagem mas com uma criança de dois anos no colo.


Diante dessa realidade, faz bem seguir algumas dessas dicas:


-Repetir a “grande ideia” do sermão múltiplas vezes ao longo dele.


-Incluir aplicações frequentes, espalhadas ao longo do sermão e não somente no final (quando muitos assistentes já poderiam ter saído).


-Abreviar suas mensagens. Pelas limitações citadas acima, junto com a dificuldade de fitar uma tela por muito tempo, sugermios reduzir por 25% a duração da mensagem a que sua audiência está acostumada. Por exemplo, se a mensagem “normal” seria de 40 minutos, tente reduzir isso por 25%, ou seja, 10 minutos, para 30. Se o “normal” é uma aula de 60 minutos, diminua para 45.


Modere extremos opostos na entrega da mensagem


Não faz sentido gritar, gesticular de forma frenética ou andar constantemente numa transmissão online, assim como não faríamos isso se estivéssemos conversando na sala de estar de amigos ou sentados juntos numa lanchonete. Os comunicadores mais dinâmicos precisarão se acalmar muito mais na plataforma digital.


Ao mesmo tempo, a pessoa mais tranquila na entrega precisa lembrar que a câmera tende a abafar ainda mais a personalidade e a apresentação. Se ela não amplificar seu nível de energia, rapidamente irá perder sua audiência pela monotonia e pelo cansaço.


Estimule interação com sabedoria


A falta de feedback instantâneo e visível constitui a maior frustração de pregadores e professores online. Mas o mundo virtual oferece algumas vantagens de técnicas de interação, se usadas com discrição. Infelizmente, o desespero de ter algum retorno dos ouvintes leva alguns comunicadores a pleitear interações banais no chat (“Sinalize no chat se você ama sua mãe!”). Mas podemos pedir interações em momentos estratégicos durante um culto (pedidos de oração; afirmações de amor para um irmão sofrendo) e no final da mensagem (dúvidas, reações, perguntas). TOME CUIDADO PARA NÃO INCENTIVAR MUITA ATIVIDADE PARALELA DURANTE MOMENTOS DE ADORAÇÃO E PREGAÇÃO QUE VÃO DISTRAIR OS PARTICIPANTES.


Preocupe-se com os detalhes da entrega


Não é possível controlar todos os elementos do ambiente, especialmente no contexto dos ouvintes. E falhas técnicas certamente ocorrerão. Somente podemos controlar o que podemos controlar. Para efeitos de uma comunicação online mais eficaz, siga essas sugestões:


-Use boa iluminação, de preferência luz natural


-Use roupas sem estampa e pano de fundo simples, caseiro, sem muitas distrações.


-Se for pregar ou lecionar próximo à câmera, faça com que seus olhos fiquem na parte superior da tela.


-Se você está falando somente para uma câmera sem nenhuma audiência, não “finja” que tenha uma audiência dispersa, olhando de um lado para outro, mas olhe diretamente para a câmera como se fosse uma pessoa sentada em sua sala de estar.


-Se possível, mude os ângulos de filmagem (com uma segunda câmera) e os ambientes de filmagem com certa frequência a cada mensagem.


Espere ficar exausto.


Tenho notado um grau elevado de cansaço depois de ministérios online em comparação com meu ensino presencial. A ausência de feedback e interação com a audiência (que tendem a me dinamizar), o estresse da tecnologia, o esforço de comunicar claramente para uma sala vazia, tendem a aumentar o desgaste exponencialmente. Não se assuste se seu cansaço parece muito maior depois de muito menos ministério do que fazia antes. Prepare-se para isso, inclusive levando isso em consideração quando aceita (ou não) múltiplos convites para ministério virtual.


Outras Dicas

-Mantenha uma estrutura (esboço) tão simples quanto possível, especialmente na ausência de outros recursos visuais (power point, lições objetivas, etc.).


-Siga o ditado retórico antigo: Diga-lhes aquilo que você vai lhes dizer; Diga-lhes o que está lhes dizendo; Diga aquilo que você já disse!


-Utilize com liberalidade as técnicas homiléticas clássicas que facilitam a clareza: Repetição, reformulação, previsão, revisão, recapitulação, transições, perguntas retóricas e ilustrações.


-Não descarte o uso de audio-visuais mesmo na filmagem. Lições objetivas, clipes de vídeos, dramatização, se bem elaborados e claramente visíveis ainda podem contribuir muito, especialmente no mundo virtual (Mt. 13.34).


-Algumas plataformas são melhores que outras para a transmissão de slides de power point ou outro programa gráfico. A regra aqui é: “Menos é mais” em termos de quantidade de slides e “Menor é pior” em termos de tamanho da fonte. Sempre é uma boa ideia ensaiar a transmissão de slides em cada plataforma que for usar.


-Não tenha medo do uso estratégico de PAUSA; silêncio no mundo virtual parece ainda mais prolongado do que no mundo presencial, mas serve para as pessoas absorverem seu conteúdo.


-Sorria sempre que possível! O calor humano e a alegria são contagiosos.


-Projete textos bíblicos na tela. Muitas pessoas chegarão atrasadas para o livestream e não terão a mínima ideia em que lugar da Bíblia você está quando diz, “Veja versículo 2”. O texto projetado ajudará muito neste sentido.


-Tente falar sem anotações, para manter contato visual contínuo com a câmera. Se necessário usar anotações, considere a possibilidade de colar as folhas abaixo da câmera ou em outro lugar que não afaste seu olhar da audiência virtual.


-Evite um linguajar familiar demais que só comunica para um grupo pequeno de pessoas (da sua igreja ou do seu grupo) mas que deixa “visitantes” no escuro.


-Assista suas próprias gravações e aprenda onde poderia comunicar melhor. Observe atentamente maneirismos que possam distrair a audiência. Peça ajuda de outros, inclusive da própria família e pessoas de confiança como você poderia melhorar sua entrega.


-Recrute a geração de “nativos digitais” (jovens com menos de 30 anos) para ajudar na filmagem, editação e produção das transmissões. Essa é uma oportunidade fantástica de envolver a nova geração neste ministério.


Conclusão


O seminário não nos preparou para pregar na pandemia, mas deve ter nos preparado para pregar a Palavra. Não se desanime se suas técnicas virtuais deixam algo a desejar. Continue sendo fiel ministro da Palavra, usando as oportunidades que tiver da melhor forma que puder, em Seu poder.


[i] As fontes consultadas que influenciaram esse artigo incluem: Campbell, Jesse. “4 critical pointers for preaching to a camera in an empty room”, 18 de março, 2020: https://factsandtrends.net/2020/03/18/4-critical-pointers-for-preaching-to-a-camera-in-an-empty-room/ Crews, Heather. “Preaching to an online church” 12 de abril, 2020: https://www.nadministerial.com/stories/preaching-to-an-online-church Hilgemann, Brandon. “5 tips for preaching to a camera”, 18 de abril, 2020: https://www.propreacher.com/preaching-to-a-camera/ Mead, Peter. “7 tips for preaching online”, 28 de março, 2020: https://biblicalpreaching.net/2020/03/28/7-tips-for-preaching-online/ Medders, Jeff. “5 practical tips for new livestream preachers”: https://www.acts29.com/5-practical-tips-for-new-livestream-preachers/ Nieuwhof, Carey. “5 ways to get better at preaching/speaking directly into a camera”: https://careynieuwhof.com/5-ways-to-get-better-at-preaching-speaking-directly-into-a-camera/ Reeb, Charlie. “5 tips for preaching remotely”, 27 de março, 2020: https://www.ministrymatters.com/all/entry/10202/5-tips-for-preaching-remotely Wilson, John. “10 things you should do differently when preaching online”, 24 de março, 2020: https://www.premierchristianity.com/Blog/10-things-you-should-do-differently-when-preaching-online

343 visualizações

Posts recentes

Ver tudo
LOGO PNG.png