30 O Pai que Deus Usa Gênesis 18

O Pai que Deus Usa

                                                                           Gn 18

Introdução :Genghis Khan: 8% dos homens da Ásia geneticamente ligados ao homem considerado o pai mais “prolífico” da história.  (16 milhões de homens, 0,5% dos homens do mundo com seu cromosomo “Y”.)  Conquista, estupro, roubo.  "The greatest joy a man can know is to conquer his enemies and drive them before him. To ride their horses and take away their possessions. To see the faces of those who were dear to them bedewed with tears, and to clasp their wives and daughters in his arms". 

 Provérbios 14.26 diz, No temor do Senhor tem o homem forte amparo, e isso é refúgio para os seus filhos.  Em outras palavras, felizes são os filhos que têm um papai que teme ao Senhor, que anda com Ele, que ama Ele, que é amigo dEle.

Temos estudado a vida de um homem que temia ao Senhor.  Mesmo com todas as suas falhas, com altos e baixos em sua fé, Abraão foi um homem temente a Deus.  Hoje, no dia dos pais, vamos descobrir algumas das características que fizeram de Abraão um verdadeiro amigo de Deus.  É assim que Tiago o descreve. Citando Is 41.8 diz, Ora, Abraão creu em Deus, e isso lhe foi imputado para justiça; e: Foi chamado amigo de Deus. (2.23; cp. 2 Cr 20.7)

Não posso imaginar uma figura nas Escrituras melhor para estudar no dia dos pais do que Abraão. Tudo sobre ele aponta ao fato da paternidade.  Todas as histórias sobre ele tocam nesta questão de ser pai.  O que ele mais queria no mundo era ser pai!  Seu nome no início, Abrão, significa “Pai exaltado.” Foi mudado com a promessa da aliança para “Abraão”, ou seja, “Pai de uma multidão”.  A parte “Ab” do nome é hebraíco e significa “Pai” (de onde vem “Abba” ou “papai” no aramaico).  Ele é considerado como um “patriarca” ou seja, “primeiro pai” por 3 grupos poderosos no mundo: os árabes, cristãos e judeus.  Neste sentido, Abraão é o pai de todos nós, como diz Gálatas 3.29 afirma, “Se sois de Cristo, também sois descendentes de Abraão, e herdeiros segundo a promessa.”

Se Abraão é nosso pai, quais os traços familiares que devemos seguir?  Gênesis 18 é a história fascinante sobre o encontro do Pai Abraão com 3 personagens misteriosos—o próprio Senhor Deus, e provavelmente 2 anjos.  Na história vamos descobrir o perfil do pai que é amigo de Deus e, por isso, refúgio para seus filhos.  São características de alguém que tem um coração totalmente voltado para Deus.

O pai, amigo de Deus, tem um coração aberto para

1.    Servir ao Senhor

2.    Crer no Senhor e

3.    Interceder ao Senhor

I.  O Pai Amigo de Deus Tem um Coração Aberto para Servir ao Senhor (18.1-8)

Contexto: Abraão está com 99 anos de idade. Essa é a quarta vez que Deus aparece a ele, sempre com promessas maravilhosas vindo da Sua graça. Abraão havia acreditado no Senhor (15.6), e Deus fechou o pacto com ele, assim garantindo que Ele mesmo cumpriria as promessas, incondicionalmente (15) e perpetuamente (17). Mas a graça de Deus sempre exige uma resposta. Grande privilégio implica em grande responsabilidade.  Como já vimos, Deus pede que Abraão ande com ele com integridade (17.1,2).  O sinal da aliança seria circuncisão de toda a casa e família, uma ordenança que ele obedeceu imediatamente, inteiramente e internamente (17.23-27).

Mas agora, Deus aparece ao seu amigo outra vez.  Ler 18.1-2.

Desde o início deste encontro, percebemos traços do caráter deste grande homem.  Ele é hospitaleiro.  Salmo 112, que descreve o homem que teme ao Senhor, diz Bem-aventurado o homem que teme ao Senhor, e se compraz nos seus mandamentos.  A sua descêndcia será poderosa na terra: será abençoada a geração dos justos... ele é benigno, misericordioso e justo.  Ditoso o homem que se compadece e empresta:”ele defenderá a sua causa em juízo...Distribui, dá aos pobres; a sua justiça permanece para sempre, o seu poder se exaltará em glória. (Sl 112.1,2,4,5,9).

Papai Abraão era assim.  Seu coração estava aberto para pessoas, sejam quem fossem.  No início, o leitor sabe que é o próprio SENHOR (vs. 1) chegando para ele, mas não sabemos se Abraão sabe.  Ele o chama, “Senhor” (vs. 3), mas usa a palavra “Adonai” e não “Yahweh” ou “Jeová”.

As características da sua hospitalidade, coerentes com os mais altos padrões do Oriente Médio, refletem seu caráter como amigo de Deus.  Nesse texto, ele

A.    Era Humilde (2-8).  Notem as características de humildade no texto:

1.    Ele prostrou-se diante dos visitantes (2)  (Foi uma hora inconveniente, da siesta, e Abraão provavelmente estava na sua cadeira de balanço, na entrada da tenda tendo sua siesta).

2.    Ele chamou o visita de “Senhor” (Adonai) (3)

3.    Ele suplica humildemente o privilégio de servi-los (3)

4.    Ele diminui o significado do que ele mesmo está fazendo (“um pouco de água”-4; um bocado de pão”-5) quando de fato faz um banquete.

5.    Ele fica em pé até que eles terminam a refeição (8).

Essas são características de um servo do Senhor humilde, mais interessado nos outros do que em si mesmo.  É marcante o contraste entre esse capítulo, que descreve o amigo de Deus, Abraão, e o próximo, que descreve os inimigos de Deus, os homens de Sodoma.  Eles tratam com total crueldade e perversidade esses mesmos visitantes, e assim selam sua condenação.

Aplicação: A maneira pela qual tratamos outras pessoas, especialmente estranhos, revela muito sobre nosso coração.  Por isso Hb 13.2 diz, Não negligencieis a hospitalidade, pois alguns, praticando-a, sem o saber, acolheram anjos.  (O ponto daquele texto não é que talvez nós vamos acolher anjos.... mas que, quando vivemos uma vida outro-cêntrica, a vida de Jesus, não somente abençoamos a eles, mas Deus nos abençoa de formas inesperadas!)  Note que o homem de Deus é um homem hospitaleiro, despreendido, focado em outros acima de si mesmo.  Talvez por isso, “hospitaleiro”também consta nas listas de qualificações pela liderança espiritual da igreja (1 Tm 3.2, Tito 1.8). 

            B.  Tinha um Senso de Urgência (6,7).  Note como o texto enfatiza a importância que o homem de Deus, amigo de Deus, dá ao serviço dos outros—cada momento é precioso, cada oportunidade de servir ao Senhor servindo outros, não pode ser perdido!

1.    Ele correu até eles (2)       2. Apressou-se (6)                   3. “Amassa depressa” (6)

4. Correu ao gado (7)              5.  “que se apressou em prepará-lo (7)

O servo do Senhor tem um senso da urgência de servir ao Senhor.  1 Pedro 4.7-10 traz a mesma idéia: Ora, o fim de todas as coisas está próximo...Acima de tudo...tende amor intenso uns para com os outros... Sede, mutuamente, hospitaleiros, sem murmuração.  Servi uns aos outros!

Aplicação: Irmão, o tempo corre.  Ef 5.16 diz, “remindo o tempo, porque os dias são maus”.  Ecl 12.1 fala aos jovens, “Lembra-te do teu Criador nos dias da tua mocidade!”.  Sl 90.10 e 12 diz, “Os dias da nossa vida sobem a setenta anos, ou, em havendo vigor, a oitenta...Ensina-nos a contar os nossos dias, para que alcancemos coração sábio.  Não podemos brincar com nosso serviço para o Senhor!  O tempo passa!

            C.  Deu o Melhor para o Senhor (7).  Abraão não ofereceu sobras, “qualquer coisa” para o Senhor, seu Amigo.  Deu o novilho que era “tenro e bom”.  Fez um churrasco com picanha e filet mignon!  Assim como Abel (4.4), deu das primícias, da gordura!  E fazendo para aqueles homens, de fato estava fazendo para o Senhor, como Jesus mesmo disse em Mt 25.35, Porque tive fome e me destes de comer; tive sede e me destes de beber; era forasteiro e me hospedastes; estava nu e me vestistes; enfermo e me visitastes; preso e fostes ver-me...Sempre que o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.  Deus e Abraão estão em comunhão.  São melhores amigos.  Mas isso porque Abraão tem um coração como o Senhor—despreendido, outro-cêntrico, assim como a vida de Jesus.

II.  O Pai Amigo de Deus Tem um Coração Aberto para Crer no Senhor (18.9-15)

A segunda grande característica deste patriarca, amigo de Deus, é que seu coração estava aberto para crer no Senhor, mesmo quando parecia impossível.  Ler 9-15.

O fato é que tanto Abraão como Sara deram risada quando Deus prometeu um filho para o casal que tem, entre eles, 189 anos de idade (99 + 90).  17.17 diz que “Abraão, rosto em terra, se riu” quando Deus falou que nasceria um filho para eles. Mas depois, ele creu no Senhor.  Agora, depois de um tempo, é a chance de Sara demonstrar sua fé.  Ela também dá risada, mas é repreendida pelo Senhor: “Por que se riu Sara... Acaso para Deus há coisa demasiadamente difícil (ou, “maravilhoso”)? (13,14).

O que é incrível para o Senhor é o fato de que qualquer um podia desacreditar uma promessa feita por Ele.  Para Deus, é mais incrível alguém desacreditar a Palavra dEle, do que fazer uma criança nascer de um casal no asilo.  Ele fez o universo do nada—como não poderia fazer um simples bebê no ventre da mãe?  Ele é o Deus do impossível—nada é impossível para Ele!  Ilust.: Seria como se Bill Gates estivesse prometendo para um casal recém-casado que daria para eles uma mansão na Barra da Tijuca no RJ, e eles dessem risada.  “Quem é você para nos oferecer algo tão caro?”  (Ele poderia comprar TODA a Barra da Tijuca!

Interessante que essa mesma idéia se repete no anúncio do nascimento de Jesus Cristo a Maria.  Gabriel, o anjo do Senhor (quem sabe, o mesmo que acompanhava o Senhor em Gn 18) diz em Lucas 1.37 Para Deus não haverá impossíveis em todas as suas promessas! Abraão creu nisso, e agora é a vez de sua esposa.  Hebreus 11.11,12 diz, Pela fé, também, a própria Sara recebeu poder para ser mãe, não obstante o avançado de sua idade, pois teve por fiel aquele que lhe havia feito a promessa.  Por isso também de um aliás já amortecido, saiu uma posteridade tão numerosa como as estrelas do céu, e inumerável como a areia que está na praia do mar.  Em outras palavras, uma vez que Sara reconheceu quem era que falava com o marido dela, ela tembém creu, abraçando pela fé que o caráter dAquele que prometeu era suficiente para fazer o impossível.  (Foi uma característica do casal, especialmente Abraão.  Quando Deus pediu que ele sacrificasse seu próprio filho em Gn 22, ele obedeceu.  Hb 11.19 diz que ele conseguiu esse pulo de fé porque considerou que Deus era poderoso até para ressuscitá-lo dentre os mortos, de onde também, figuradamente, o receobrou.) Que fé incrível, no Deus incrível, em quem podemos crer!

Aplic.: O pai, amigo de Deus, que teme a Deus, que ama com Deus, tem um coração aberto para crer no Deus do impossível.  Anda pela fé.  Não desiste.  Não pára de orar e clamar ao Senhor.

Ilust.: Tio Bob.  Um exemplo gráfico disso foi meu tio, “Bob”.  A mãe dele faleceu no parto, e durante toda a vida dele ele lutou com a questão de como um Deus bom podia permitir algo tão ruim.  Durante 80 anos ele mantinha essa atitude de rebeldia como agnóstico.  Oramos por ele durante décadas.  Eu achava impossível que alguém como ele poderia se converter. Mas pegou câncer, e Deus na sua infinita misericórdia usou aquela situação para derreter seu coração.  Ele se converteu 3 semanas antes da sua morte, e foi uma das conversões mais genuínas e profundas que já vi.

Aplic.: Deus é o especialista em fazer o impossível acontecer.  Quem teria dito que Israel voltaria a ser um país depois de quase 2000 anos?  Quem diria que Albânia, país declaradamente ateio, se abriria para o Evangelho.  Quem diria que a Cortina de Ferro cairia?  Deus gosta de nos surpreender com o impossível, para que Ele e somente Ele receba a glória...Não sei qual a situação impossível que você está enfrentando.  Pode ser a conversão de um parente ou cônjuge.  Talvez um conflito que não se resolve a anos. Talvez, como Abraão e Sara, o desejo de ter um filho. Talvez finanças apertadas, dívidas impossíveis de pagar. Pode ser um problema de saúde que parece não ter solução. Pode ser um filho desviado.  Pode ser uma situação no seu serviço que parece não ter saída.  Não existem garantias de que Deus TEM de responder seu pedido, mas o amigo de Deus sempre crê que Ele PODE responder.  Por isso, não desanimamos.  Não deixamos de orar.  Não deixamos de confiar no Deus dos impossíveis.

III. O Pai Amigo de Deus Tem um Coração Aberto para Interceder ao Senhor pelo Mundo (18.16-33)

Finalmente, o pai amigo de Deus tem um coração aberto para interceder junto ao Senhor pelo mundo.  Tem seus olhos compassivos voltados para o estado eterno das pessoas ao seu redor.  Ele tem o coração de Deus.

Interceder” vem do latim, “inter” ou “entre” e “cedere”, ou “pleitear”.  A idéia é de falar a favor de outrem, na defesa de outros.  O homem de Deus é, de fato, o tutor ou guardião do seu irmão! (4.9).  Tem seus olhos abertos para ver o mundo, e assim clama a Deus a favor do mundo.  Jo 4.35 Erguei os vossos olhos e vede os campos, pois já branquejam para a ceifa.  Mt 9.37,38 A seara na verdade é grande, mas os trabalhadores são poucos. Rogai, pois, ao Senhor da seara que mande trabalhadores para a sua seara.

Abraão, o amigo de Deus, é tão íntimo com Deus que Deus quer compartilhar com ele Seus planos (17; cp. Jo 15.15).  Mas a razão por trás é mais interessante ainda.  Vs. 18 diz, “visto que Abraão certamente virá a ser uma grande e poderosa nação, E NELE SERÃO BENDITAS TODAS AS NAÇÕES DA TERRA.”  É uma citação da promessa que Deus lhe fez em Gn 12.1-3. A família de Abraão seria o canal da salvação da raça humana, pois o Messias, Jesus, viria da família dEle.  Aqui encontramos missões no VT!

Mas temos que entender a situação.  Deus está prestes a destruir duas “cidades-países”, apagando-as do mapa.  Ele se sente no dever de explicar para Abraão porque Ele fará isto, pelo fato de que haverá dois países (povos) a menos para Abraão abençoar!  E Abraão, por sua parte, faz de tudo para poupar aquelas tribos da extinção.

(Ilust.: Hoje, temos cristãos mais interessados em salvar espécies de extinção do planeta do que tribos, povos, e raças do inferno!  Nossos valores se inverteram!  É importante salvar baleias, mas é mais importante salvar Eskimós.  É bom verificar que o rinocerante branco não suma da terra, mas é mais importante resgatar os africanos que moram perto dele.)  Esse é o coração do homem de Deus que tem a mesma compaixão pelo mundo que Deus tem.  Ele tem o coração de Deus, voltado para OUTROS e não para si mesmo.  É interessante que essa já é a segunda vez que Abraão age em favor dos homens perversos da planície.  Em Gn 14 ele já resgatou a cidade dos reis invasores.  Abraão já investiu vida no povo da planície, e não quer ver a destruição eterna deles tão já.

Mas o interesse de Abraão também está no seu parente, Ló, que mora dentro da cidade de Sodoma.  E por isso Abraão, sabendo que seu sobrinho é um homem justo (veja 2 Pe 2.7), começa a clamar pela cidade e pela vida do sobrinho. Abraão não está penchinchando com o Senhor, como se fosse uma feira ou loja no 25 de março.  Está afirmando dois atributos do caráter do Senhor (justiça e amor), e baseado nisto, clamando por misericórdia.  Abraão sabe que o Senhor é justo (Não fará justiça o Juíz de toda a terra? 25).  Abraão está preocupado, em primeiro lugar, com a reputação de Deus!  Mas também é importante pelo fato de que Deus ordenara que Abraão ensinasse os descendentes dele como praticar justiça e juízo (19), baseado nestas qualidades de caráter em Deus.  Mas se há dúvidas sobre a justiça e compaixão de Deus, como Abraão vai instruir os filhos dEle.  O texto prova que Deus é justo E misericordioso, não querendo que ninguém pereça (veja 15.16 e a medida da iniquidade dos amorreus).  2 Pe 3.9 Não retarda o Senhor a sua promessa, como alguns a julgam demorada; pelo contrário, ele é longânimo para convosco, não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento.

Abraão testa os limites da justiça e da misericórdia do Senhor: 50, 45, 40, 30, 20, 10.  Deus é tão longânimo, que ele pouparia uma cidade inteira por causa de somente 10 pessoas crentes, na esperança de que essas alcançariam ainda mais.  Deus não tem prazer na morte de ninguém!  Mas há hora em que o equilíbrio entre santidade e graça passa o limite, e Deus tem que julgar, para preservar a vida de outros.

Ilust.:  Jó  (Jó 29.12-17!!)

Alguns criticam Abraão por ter parado sua intercessão, mas creio que ele percebia exatamente até onde podia ir, onde o limite entre a santidade de Deus e sua graça foi cruzada.  Além disso, imagino que ele pensava consigo mesmo, que certamente Ló e sua família teriam influenciado para o bem 10 pessoas.  Contando Ló, sua esposa, duas filhas, e dois futuros genros, só faltava 4 almas para constituir 10.  Certamente um homem justo como Ló teria ganho 4 almas depois de todos aqueles anos de peregrinação em Sodoma.

Aplic.: O homem de Deus, amigo de Deus, é um cristão mundial (não um cristão mundano).  Tem seus olhos abertos para o mundo, e lidera sua família na intercessão pelo mundo, pela oração pelas nações, pelo envolvimento em missões, assim como Jesus ordenou (Mt 28.18-20). Mas também através de formas práticas de socorrer e ministrar para outros.

            1) Transformar nossa oração (nas refeições, etc.): incluir povos, missionários, etc., em vez de simplesmente orar por “um bom dia”, ou para “se divertir” ou “pela comida”.  (Mural de oração; livro “Intercessão Mundial”; lembrança de pedidos e de pessoas que chegam à frente da igreja; adoção de missionários PAM).

            2) Orar para que Deus envie obreiros para a ceara, a começar com nossos filhos

            3) Não fechar os olhos para as necessidade daqueles ao nosso redor, e envolver-se para socorrer a eles. A vida cristã é uma vida centrada nos outros—a vida de Cristo!  Impressionante como Abraão era assim—primeiro dando a opção do melhor da terra para seu sobrinho prepotente (13); depois abrindo mão dos espólios do resgate de Ló (14).  Agora intercedendo pelo mundo.  O pai que Deus usa é alguém que tem seus olhos voltados não para SEUS direitos, SEU bem-estar, SEU conforto, mas o bem dos outros.

Pv     Informa-se o justo sobre a causa dos pobres...

Pv 24.11,12 Livra os que estão sendo levados para a morte, e salva os que cambaleiam indo para serem mortos.  Se disseres, Não o soubemos, não o perceberá aquele que pesa os corações?  Não o saberá aquele que atenta para a tua alma?  E não pagará ele ao homem segundo as suas obras?

Pv 31.8,9 Abre a tua boca a favor do mudo, pelo direito de todos os que se acham desamparados.  Abre a tua boca, julga retamente, e faze justiça aos pobres e aos necesitados. 

Conclusão: Nós também somos amigos de Deus.  João 15.15 diz, Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho dado a conhecer.  Como amigos, Jesus tem revelado para nós o que há de acontecer com este mundo.  Tudo será destruído (2 Pe 2.11,12). As pessoas que não conhecem a Cristo irão para o lago do fogo, para separação eterna de Deus no inferno.  O homem de Deus, o papai conforme o coração de Deus, vê isso e age.  Tem um coração aberto para:

1      Servir ao Senhor com humildade, urgência e despreendimento

2      Crer no Senhor, que Ele é o Deus do impossível

3      Interceder ao Senhor, pelo mundo que jaz nas trevas

Idéia: O pai que Deus usa tem o coração voltado para o mundo.