25 Abrão Creu no Senhor Gênesis 15.6

                                                                 Abrão Creu no Senhor

                                                                                                 Gn 15.6 (Ceia)

Introdução:  Pessoas têm medo de muitas coisas.  Na internet localizei um site dedicado exclusivamente a catalogar as fobias que as pessoas têm, e achei cerca de 600 casos diferentes.  Muito medo faz sentido:

medo de alturas (acrofobia);                                      medo de aranhas (aracnofobia);

medo de cobras e répteis (herpetofobia);                 medo de lugares fechados (claustrofobia).  Astrafobia- Medo de trovão e raio.                                     Aviofobia - Medo de voar 

Carcinofobia- Medo do câncer                                    Insectofobia - Medo de insetos

Scotofobia- Medo da escuridão                                   Thanatofobia- Medo da morte

1) (Crotch jumper....filme).   2) Gatos)...9 vidas, mas muito medo.

Chegamos a dar risada, mas medo não é brincadeira para a pessoa que o tem.  Às vezes, nossas “fobias” não tem explicação—parecem irracionais.  Por exemplo:         

Alektorofobia-Medo de galinhas        Ranidafobia- Medo de rãs (povo do Egito!)  Aliumfobia- Medo de alho

Coulrofobia- Medo de palhaços           Anuptafobia- Medo de solteirice

Criançastêm fobias típicas: Clinofobia- Medo de ir para cama. 

Didaskaleinofobia- Medo de ir para escola. (Mãéééée’—não posso ir para aula hoje; tenho um caso sério de didaskaleinofobia!”.  Dentofobia- Medo of dentists.

Os pais também têm seus medos.  Por exemplo, Efebifobia- Medo de adolescentes. 

Eles, por sua vez, também tem medo: Ergofobia- Medo de trabalho.

Falacrofobia- Medo de ficar careca.                Caetofobia- Medo de cabelo. 

Infelizmente, algumas pessoas têm fobias relacionadas a igreja: Ecclesiofobia- Medo da igreja.

Homilofobia- Medo de sermões.

Entre as fobias prediletas: Hexakosioihexekontahexafobia- Medo do número 666.

Hipopotomonstrosesquipedaliofobia- Medo de palavras compridas.

Uma fobia que tenho fobia até de falar: Penterafobia- Medo da sogra.  Isso explica tudo.

E para concluir, Fobofobia- Medo de fobias e  Pantofobia- Medo de tudo.

Mas hoje, voltamos para nosso estudo da vida de Abrão e o livro de Gênesis para estudar um outro tipo de “fobia”—antropofobia, ou seja, o temor aos homens, uma doença que quase todos nós temos, e talvez nem percebemos, mas para nós que conhecemos o Senhor Jesus, é irracional.

Vamos descobrir que a única cura para “antrofobia” é o temor.... e a confiança no Senhor.

Ler 15.1,6.  Para entendermos melhor, temos que voltar ao contexto.  “Depois destes acontecimentos” é a ponte que nos leva a entender que os acontecimentos do cp 15 estão diretamente ligados ao que aconteceu no cp. 14. 

Abrão havia resgatado Ló dos reis invasores.  Pagou as despesas do próprio bolso do seu exército de 318 homens.  Abriu mão dos espólios, que eram legitimamanente dele.  Além disso, ele deu um dízimo de tudo que havia ganho para o sacerdote-rei Melquisedeque, que não havia feito nada na guerra.  Só que ele está com mãos vazias, com uma boa conta para pagar.  Sua decisão de fé custou caro, e para que?  O que adiantou?  Abrão continuava sem a escritura de sequer um selo de carta na terra.  Abrão continuava sem descendente.  Não possuia sequer um lote de terreno na Terra Prometida.  E além disso, havia feito alguns inimigos perigosíssimos, enquanto perdeu uma oportunidade inédita de se enriquecer.

É justamente nesta hora que Deus diz, “Não temas, Abrão!”  É a primeira vez em toda a Bíblia que essas palavras são mencionadas.  São um presente de Deus, um presente de corajem diante de obstáculos que parecem ser insuperáveis.  Deus vem até nós, e nos lembra “Eu sou convosco”.  Por isso, já descobrimos que na hora da nossa necessidade, de medo, Deus vem até nos e nos oferece os presentes de coragem e consolação, com Sua proteção, presença e promessa de galardão.

Mas tudo isso requer uma resposta.  É aqui que encontramos um dos versículos mais bonitos na Bíblia, um texto citado no NT não menos de 3 vezes, Gn 15.6: “Abrão creu (no) Senhor, e isso lhe foi imputado para justiça.” Essa é a resposta de um coração acalmado, de um espírito conformado, de uma alma tranquilizada pela suficiência do Senhor. 

Lição:  A única solução para o temor dos homens é o temor do Senhor.

O texto é um pouco problemático.  Será que significa que a partir deste momento, Abrão “se converteu”?  Creio que não.  De fato, pode ser traduzido, “Abrão tinha acreditado no Senhor” ou até mesmo, “Abrão foi convencido pelo Senhor.”Hb 11.8 Pela fé Abrão, quando chamado, obedeceu, a fim de ir para um lugar que devia receber por herança; e p[artiu sem saber aonde ia.  Pela fé peregrinou na terra da promessa como em terralheia...porque aguardava a cdade que tem fundamentos, da qual Deus é o arquiteto e edificador.

De tudo que o homem pode fazer para agradar a Deus, o mais bonito é crer nEle e nas palavras dEle.  Deus é mais glorificado em nós quando mais confiamos nEle.  Hb 11.6 diz, “Sem fé é impossível agradar a Deus”!

Porque fé agrada tanto a Deus?  Porque mostra que Ele é de confiança.  Porque mostra que Ele é mais importante que Seus presentes.  Porque mostra que Ele é a nossa suficiência. 

Ilust.: Criança na cama dos pais numa noite de trovão e raio...criança dormindo no colo da mãe no metrô.

Deus é honrado por nós, glorificado por nós, quando nós O consideramos digno de confiança, descanso, confiança. Quando nós nos agarramos nEle, apesar das circunstâncias, apesar das aparêcias, quando a própria vida perdeu gosto, quando não entendemos (conforme cantamos, “E quando não entender...ajoelhai”.)  Deus é MAIS honrado por nós quando nos agarramos nEle nos momentos de dúvidas, sequidão, crise.  É fácil crer quando tudo vai bem.

Esse versículo é tão importante que foi citado 3x no NT.

Rm 4.1-5--                             Gal 3.6-9                                Tg 2.22,23--

Transição:  Um texto que resume essas idéias de “fobia” e “fé” que me ajuda muito diante da minha “antropofobia”... Vamos entrar na clínica do Médico dos médicos para diagnosticar a doença e receitar uma cura.

I.  Diagnosticar os Sintomas: “Antropofobia” (O Temor dos Homens)

Pv 29:25 “Quem teme aos homens arma ciladas, mas o que confia no Senhor está seguro.”

            “Quem teme” = “tremer, ficar trémulo,” ficar possesso de ansiedade, medo (1 Sm 14:15, Ez 28:21, Dn 10:7, Jr 30:5,Is 21:4, Ez 26:16)  (vb charad = tremer, terrorizado (de terremotos na montanha Sinai  Ex 19:18) 

            “arma ciladas” = “fig. de tudo que atrai, seduz, leva para destruição” (= dar isca”, ou seja, preparar armadilhas.  Cf. Pv 1:17,18

O texto fala da pessoa que fica trémula diante dos homens, e por isso se retrai, muda de opinião, muda de convicção, não luta pela verdade, não defende o necessitado.  Fica covarde ao ponto de vacilar, fracassar.  Ou vive uma vida baseada nas expectativas dos outros, com medo de desapontar, arriscar, tentar.

Abrão.  (O fato de falar “não temas” nos leva a crer que Abrão tinha motivo de temer, e que estava com medo!)   Porque Abrão teria medo?  No contexto, já descobrimos pelo menos 3 razões:

1) Ele temia a retaliação dos reis invasores que ele havia surpreendido na emboscada à noite. 

2) Temia o Rei de Sodoma, que ele havia “peitado” e denigrado, recusando aceitar dele uma oferta de aliança como suzerano/vassalo, dizendo, “Não quero nem um fio, nem uma correia de sandália de você”. 

3) E talvez, acima de tudo, temia o futuro, por ter perdido uma oportunidade inédita para enriquecer-se.)

Arma ciladas para quem? Para outros?  Talvez.  Bajulação é um produto do temor aos homens, que faz com que o outro seja enganado.  Mentira também faz com que armemos ciladas para enganar ao outro.  Mas as ciladas aqui provavelmente são contra nós mesmos.  Quando trememos diante dos homens, deixamos de ser e fazer tudo que Deus quer que sejamos ou façamos.  Deixamos de participar numa determinada atividade, por medo do que os outros vão pensar.  Não levantamos uma pergunta na sala de aula, por medo de ser ridicularizados.  Recusamos participar de um ministério na igreja, pensando que não seremos o bom suficiente.  Quem sai perdendo somos nós, e tudo porque trememos diante de homens.  Que coisa triste!  No fim, estou confiando mais nas pessoas ao meu redor para suprir minhas necessidades, do que em Deus.

“Temer aos homens”significa esperar de pessoas o que somente Deus pode dar.  Significa moldar minhas atitudes, ações, pensamentos, conforme o padrão dos homens, e não de Deus.  Significar permitir que este mundo me conforme aos seus padrões.  Significa amar o louvor dos homens acima do louvor de Deus.  Significa não viver conforme minha posição em Cristo Jesus mas, sim, pelo performance, uma vida escravizadora de desempenho,

expectativas, e máscaras.

Quais seriam alguns sintomas de alguém que olha para os homens e não para o Senhor para suprir suas necessidades?  Gostaria de alistar alguns pecados que tenho percebido em minha própria vida e que apontam ao temor dos homens que é cilada.

1.    Ansiedade. (Sobre o que outros vão pensar a meu respeito, sobre o futuro, etc.).  Sempre que eu

Me preocupo com “O que estão pensando?  Estão gostando?  Será que fui bem?” demonstro “antropofobia” e não confiança no Senhor.

2.    Vaidade:Preocupação com aparências . . . exercício físico feito não para cuidar do meu corpo, mas

para que os outros vão me respeitar, gostar . . .

3.    Desejo por reconhecimento: energia, esforço, ativismo, performance, para que os outros, qualquer

um, me reconheça.  (Ficar chateado, triste, deprimido, cansado depois de tanto esforço, só para ficar esquecido)

4.    Rendimento à Pressão de Colegas: (bebida, aprontação, ficar, rebeldia, desrespeito,  etc.—falta-nos

corajem para ser diferente, ficar “sozinhos” e resistir, como Daniel ou José, a pressão para conformar.  Medo de Rejeição: (Jn 12:42,43 “amaram mais a glória dos homens do que a glória de Deus”   Algumas pessoas têm esse medo de tal forma que nunca vão confrontar um erro . . . repreender um irmão . . . reclamar num restaurante . . . devolver mercadoria defeituosa.  Ficam paralisados, vivendo uma vida tão insegura, tão preocupada com o que os outros estão fazendo, que não tem vida própria.

            5.  Comparação.  O temor aos homens vive fazendo comparações com outras pessoas, e sentindo-se ou desanimado porque não consegue atingir o mesmo nível, ou orgulhoso, porque julga-se superior. (1 Co 10.12 medindo-se consigo mesmos, e comparando-se consigo mesmos, revelam insensatez.) Em vez de contentar-se com o fato de que pessoas são diferentes, e não necessariamente melhores ou piores, que somos vasos de barros, que tudo que temos vem de Deus, procuram estatus pela comparação.  Mas é outra forma de temor aos homens.

6.    Incapacidade de aceitar crítica ou pedir perdão: Mais uma vez, auto-proteção . . . não admito

erro, não posso me humilhar . . .

7.    Incapacidade de dizer “Não”: Sacrifico princípios bíblicos para agradar aqueles que impõem sobre

mim suas expectativas.  No contexto familiar pode ser fatal . . . sempre jogo para a plateia, mas quem sofre é a minha família. 

8.    Legalismo: Expressão clássica e corporal do temor dos homens.  Estabelecemos regras que não têm

nada a ver com a Bíblia, com a vida de Cristo em nós, com medo do que os outros vão pensar.  Tememos a reação delas, o que vão falar a nosso respeito. 

9.    Vergonha da Verdade: Na essência, temor do que os outros vão pensar de mim, acima do destino

eterno da alma deles, ou da verdade que precisam ouvir.  Então, deixamos de confrontar com a verdade o irmão em pecado, por medo do que vai pensar a nosso respeito!

            10.  Hipocrisia: usamos máscaras, fingimos ser o que não somos, nunca pedimos perdão dos outros, nunca compartilhamos nossas dificuldades, exageramos a verdade, nos protegemos vivendo uma mentira, tudo para ser aceito para homens que são que nem deuses para nós.  Assim, nunca vamos prosperar.

Transição: O auto-engano produzido pelo temor dos homens acaba nos prendendo em armadilhas e ciladas.  Mas assim como Jesus prometeu, conheceremos a verdade, e a verdade nos libertará.  Qual o remédio prescrito pelo Médico para essa doença?  É o temor do Senhor, ou seja, confiança em Deus, que é muito acima dos homens, e cuja opinião a nosso respeito deve ser muito mais importante. 

II.  Descrever uma Cura: Antropofobia se Cura pela Teoconfia

Pv 29:25 “Quem teme aos homens arma ciladas,

mas o que confia no Senhor está seguro.”

Lição:  A única solução para o temor dos homens é o temor do Senhor.

As duas linhas paralelas neste provérbio apresentam um contraste.  O oposto do “temor aos homens” é “confiar no Senhor”.  Essa é uma descrição do temor de Deus—uma confiança, uma dependência, um relacionamento íntimo que leva para segurança, paz, tranquilidade, bem-estar, apesar dos inimigos, apesar das circunstâncias.  Em vez de tremer diante dos homens, ele treme diante do Senhor.  Ele tem um grande Deus, e pequenos homens.

Foi isso que Abrão fez.  “Creu no Senhor.” Abrão “rolou” sobre o Senhor sua ansiedade (1 Pe 5.7).  Ele considerou o Senhor fidedigno.  Digno de confiança.  Por isso sossegou.  Descansou.  Agarrou-se nas promessas do Senhor.  Tinha um grande Deus, em quem podia confiar.  E isso agrada muito a Deus.

Para vencermos o temor aos homens temos que construir uma identidade sobre nossa posição em Cristo Jesus.  Não temos nada a perder, e já temos tudo que precisamos ganhar.  Aos olhos de Deus, pelo sacrifício de Cristo, e abraçado pela fé, somos filhos, não escravos, lavados, não culpados.

está seguro” vem de um verbo que significa literalmente, “será posto num lugar alto, inaccessível e por isso protegido” (cf. Dt 2:36, Jó 5:11, Is 30:13, Is 26:5, Sl 139:6, Pv 18:10,11, Sl 20:2, 69:30, 91:14)

A essência da “antropofobia é um pequeno Deus e homens grandes.  A causa desse pecado é não entender nem viver conforme nossa posição em Cristo.  Se somente soubesseis quem somos, o que temos, e para onde vamos, o temor dos homens não teria mais poder sobre nós.

Note em Gn 15 como Deus consola Abrão diante de tantas dúvidas, tanto medo, com o fato de que ELE é nosso escudo, Ele é nosso galardão.  Temos toda a eternidade garantida!  Nosso destino está seguro, nossa posição em Cristo finalizada.  Por isso, não há nada a provar diante de Deus; céu é o nosso destino; somos abençoados com todas as bênçãos espirituais em Cristo; o Espírito do Cristo vivo está em nós!  Podemos descansar nesta nossa posição em Cristo, livres de ansiedades, comparações, ambições, o desejo por aplauso, legalismo, máscaras, etc.  Encontramos o verdadeiro descanso (Mt. 11.28-30).

Jeremias 17:5-10 (contraste vss 5 e 7—confiar nos homens, confiar no Senhor . . . contexto ir para Egito buscar ajuda contra Babilônia . . . final = coração enganoso . . . sempre sondando para saber se estamos confiando no Senhor)

Aplicação: Será que Deus é a nossa suficiência?  Será que corremos PRIMEIRO para Ele?  Ou será que, quando em apertos, nossa primeira opção é: familiares?  Namorado(a)?  Livros de auto-ajuda?  Multidão de conselheiros?  Cremos MESMO que Deus é suficiente?  Para isso acontecer, muitas vezes Deus permite que caiamos...

Salmo 131.   Para o salmista, não foi o leite da mamãe que o acalmava, mas a presença da mãe.  Trata-se da criança DES-mamada, que só quer a mãe, não o que a mãe oferece. 

                        Ilust.: Criança no colo da mãe no metrô.

A única solução para o temor dos homens é fé em Deus,revelado em Cristo, que garantiu para sempre meu “estatus” no universo!  Posso abaixar a máscara, viver seguro, abertamente, livremente.  Conheceremos a verdade, e a verdade nos libertará!  Faremos “proezas” com nosso Deus, quando é Ele, e Ele só, que nos importa.  Resistiremos os colegas que nos arrastam para o mal.

Qual a resposta ao temor dos homens?  Confiança no Senhor.  Reconhecer meu problema, correr até a cruz de Cristo, confessar que tenho tido grandes homens e um pequeno Deus . . . mergulhar-me no amor e aceitação da minha posição em Cristo . . . crescer diariamente no conhecimento deste grande Deus.  Ele há de revelar mais e mais áreas onde o temor dos homens invade nosso ser e contamina tudo que fazemos.  Cada vez que descobrimos mais uma área, correr até a cruz e ao trono que jorra graça, para achar graça e misericórdia em tempo oportuno.  Precisamos renovar nossas mentes constantemente sobre a Verdade-o que é verdadeiro sobre nós mesmos, sobre Deus, e sobre outras pessoas. 

Conclusão:  Não sei quais as fobias que você tem hoje.  Mas é bem provável que “antropofobia seja uma delas.  A única solução para o temor aos homens é o temor do Senhor.  É crer no Senhor.  Confiar exclusivamente nEle como nossa suficiência. 

            Lição:  A única solução para o temor dos homens é o temor do Senhor.

Gostaria de terminar, lendo alguns textos da Palavra de Deus, que nos prepararão para a celebração da Ceia do Senhor:

          1 Jo 4.4  “Maior é Aquele que está em vós do que aquele que está no mundo.”

Hb 13.5,6  “Ele tem dito,  ‘De maneira alguma te deixarei, nunca jamais te abandonarei.  Assim, afirmemos confiantemente, ‘O Senhor é omeu auxílio, não temerei; que me poderá fazer o homem?”

Rm 8.31-35 “Se Deus é por nós, quem será contra nós?...Quem intentará acusação contra os eleitos de Deus?  É Deus quem os justifica....Quem nos separará do amor de Cristo?  Ser;a tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada?

Sl 23.4, “Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum, PORQUE TU ESTÁS COMIGO! 

Sl 27:1-3, 5, 6, 14  O Senhor é a minha luz e a minha salvação; de quem terei medo?  O Senhor é a fortaleza da minha vida; a quem temerei?  Quando malfeitores me sobrevêm para me destruir, meus opressores e inimigos, eles é que tropeçam e caem.  Ainda que um exército se acampe contra mim, não se atemorizará o meu coração; e se estourar contra mim a guerra, ainda assim terei confiança...Pois no dia da adversidade ele me ocultará no seu pavilhão; no recôndito do seu tabernáculo me acolherá; elevar-me-á sobre uma rocha.  Agora será exaltada a minha cabeça acima dos inimigos que me ercam...Espera pelo Senhor, tem bom ânimo, e fortifique-se o teu coração; espera, pois, pelo Senhor.