Oseias

 

                                                           O Amor que Nunca Falha

                                                                         Oséias

 

Durante 3 anos Maria está carregando o peso de culpa do seu passado.  Há momentos de vitória, sem dúvida.  Já acertou a situação, pediu perdão, e confessou seu pecado.  Mas parece que nas horas menos esperadas, as memórias descem como nuvens escuras, e ela se sente mais uma vez derrotada, deprimida, afastada de Deus.  Talvez pior, se sente suja, e por isso, distante de Deus.  "Como pode Deus me aceitar, depois de tudo que fiz? Como pode me perdoar?  O que adianta?"  "Como que posso sentí-lO perto outra vez?"

 

Hoje, continuaremos falando sobre o "amor-fiel" de Deus, no livro com talvez a mensagem mais gráfica, mais clara, sobre o assunto.  O problema que enfrentamos é distância de Deus.  O que fazer quando nos sentimos longes da presença de Deus?  Quando parece que as nossas orações não sobem além do teto?  Qual o problema?  Como podemos voltar?  Este é o problema que o livro de Oséias procura solucionar.

 

Creio que o problema de distância de Deus tem sua raiz no nosso conceito de Deus.  Muitas vezes essa distância manifesta-se na culpa que sentimos perante Deus--culpa falsa, e também culpa verdadeira--que criam uma distância imaginada ou às vezes real entre nós e Deus.  Olhamos para as nossas vidas, e vemos os pecados, e sentimos sujos.  Sabemos dos nossos hábitos, pensamentos, desonestidade, relacionamentos quebrados, e pecados no passado.  Como que o amor-fiel de Deus nos afeta nesses casos?

 

Precisamos ouvir uma palavra de graça, uma lembrança da aceitação, do amor-fiel de Deus, mesmo sendo pecadores tão ruins.  Precisamos entender o quanto Ele nos ama, o quanto Ele nos busca, o quanto Ele nos purifica na Pessoa de Jesus.  Assim, o remédio para quem se sente distante de Deus é voltar para Seu amor-fiel: constante, incessante, perseverante e pasciente.

 

O livro que melhor ensina este princípio é o livro de Oséias.  O livro foi escrito para o povo do norte, Israel, logo antes da sua queda diante do exército assirio.  Como em outros livros proféticos,  a experiência do profeta é a base da mensagem.  Neste livro, a vida de Oséias torna-se em um grande audio-visual para o povo de Israel.  Como os profetas Ezequiel (que perdeu a esposa e não podia chorar) e Jeremias (que não lhe foi permitido casar), ambos para simbolizarem os horrores do exílio babilônico, a família de Oséias serviu como lição gráfica para o povo de Israel.  O casamento de Oséias com Gômer  ilustra o amor de Deus para com Seu povo.

 

O livro se divide em duas partes principais.  Cps. 1-3 contam a história do profeta e seu casamento com uma prostituta, e cps. 4-14 aplicam esta ilustração ao relacionamento entre Deus e Israel.  Assim, existe um intercâmbio no livro, uma alternação contínua entre a ilustração do profeta e a realidade do país.  Além desta alternação entre Oséias--Gomer e Deus--Israel, também há alternação entre o amor-fiel de Deus disciplinando e restaurando seu povo, e a tendência do povo afastar-se do Seu amor.

 

O que vamos aprender hoje é que: Na hora em que se sente distante de Deus, aproxime-se do Seu amor-fiel.

 

 Veremos os passos de restauração do povo de Deus à intimidade e comunhão com Ele, desde o problema inicial até a preservação do relacionamento (problema, perseguição, purificação, preservação).  Vamos descobrir como o amor perseverante de Deus mantém seu povo dentro dos seus braços.

 

I.  PROBLEMA: O Povo de Deus Afasta-se do Amor-Fiel de Deus (1:2-9, 4:1,2 6:4, 11:1,2)

 

            A.  História:  1:2-9;  Oséias o profeta foi mandado casar-se com uma "mulher de prostituição" como símbolo do relacionamento entre Deus e Israel.  Filhos nascem, cujos nomes também são símbólicos da disciplina de Deus contra a nação.  Gomer afasta-se do seu marido, talvez gerando filhos ilegítimos através da prostituição, e finalmente torna-se uma prostituta-escrava.  Oséias sente na pele o que Deus sente, por ser traído, abandonado, rejeitado, deixado de lado, apesar do seu grande amor!

 

            B.  Israel:  Olhe como o texto aplica a ilustração de Oséias à infidelidade espiritual da nação:

 

4:1,2: Sem verdade, sem amor, sem conhecimento; muito crime, etc.

 

6:4 Amor inconstante, transitório

 

11:1,2  Cada vez mais distante

 

*Israel continuamente, repetidamente, virou as costas ao Senhor, levantou os braços e pecou, ignorando as advertências que vinham do seu amor.  Foi se afastando cada vez mais de Deus, e traiu o próprio Deus.

 

*O maior pecado de Israel foi não ter reconhecido o amor de Deus!

 

*Enquanto distante da comunhão, o povo perdeu o lugar de proteção e benção.

 

*Como Deus sofreu!  O pecado quebrou a lei do Senhor, mas também quebrou seu coração!

 

            C.  Aplicação:

 

1) Nossa tendência é de esquecer, minimizar, insultar, e trair o amor-fiel de Deus.  Isto acontece quando somos auto-suficientes, orgulhosos, independentes.

 

2) Nosso pecado nos aafasta de Deus (Is. 59:2  "Vossas iniquidadades fazem separação entre vós e vosso Deus").  Deus não muda, mas nós, sim!  O pecado nos faz esquecer do Seu grande amor.

 

3) Culpa pode ser uma das maiores armadilhas de Satanás para impedir nossa comunhão com Deus, para fazer-nos afastar de Deus pensando que Ele nos vê "sujo", quando de fato Ele nos vê vestidos com a justiça de Jesus.

 

*Como Deus sofre quando esquecemos do Seu amor, quando vivemos como se Ele não nos amasse, como se tudo dependesse do nosso esforço, quando nos afastamos dEle.

 

*Conceito errado de Deus: Como se tudo dependesse de nós para manter comunhão. 

 

*Armadilha de Satanás: quebrar a comunhão com Deus, NOS afastando dEle através de pecado, ou culpa.

 

 Tendo visto o problema, um povo afastado de Deus, distante, precisamos traçar os passos para a restauração da plena alegria de um relacionamento de amor com o Senhor.

 

 

II. PERSEGUICAO: A Graça de Deus Persegue seu Povo com Laços de Amor (3:1,2; 11:1-4,8;     

 

            Parafrasear:  Deus não nos deixa só . . . Seu amor nunca descansa, não tira férias.  Nós vacilamos, mas Ele nunca!

 

            A.  História:  3:1,2  Oséias procura sua esposa, e a compra de volta no mercado de prostitutas-escravas.

 

            B.  Israel:  Deus persegue Israel com seu amor-fiel!

 

11:1-4,    Atraído com laços de amor!

 

11:8     Declaração da fidelidade de Deus

 

 

            C.  Aplicação:

 

Definição: Graça  Falamos muito sobre "graça" sendo o favor não-merecido de Deus.  Mas geralmente enfatizamos a primeira parte, "favor", e não a segunda.  Para ser graça, precisa ser NAO merecida!  Este é o ponto de "graça"--é de graça!  Não sei exatamente porque, mas por alguma razão, depois da nossa conversão, quando entendemos que somos pecadores miseráveis, carentes da graça de Deus, de repente mudamos as regras do jogo e definimos "graça" como sendo "favor merecido".  Começamos a tentar provar para Deus que somos bonzinhos, merecedores dos seus favores.  Tentamos mostrar como não somos TAO ruins assim.  Tentamos ganhar posição, status, etc. pelas obras que fazemos e pelo próprio esforço.  E quando somos perseguidos por um pecado passado ou presente, de repente pensamos que caímos aos olhos de Deus, andamos debaixo de nuvens pretas, sentimo-nos sujos, e em termos gerais não aproveitamos da comunhão com Deus ou a vida em abundância.  A verdade é que nosso passado não tem poder sobre nós!  Satanás não pode nos acusar.  Estamos "em Cristo", cobertos pelo seu sangue precioso, justificados (declarados JUSTOS) por Ele.

 

*Mesmo rejeitando o amor fiel de Deus, fielmente Ele nos ama até ao fim.

 

*Se rejeitarmos o amor de Deus, o amor dEle é constante, e constantemente a nossa procura.

 

*Ficar decepcionado consigo mesmo é ter acreditado em si mesmo! (A.W. Tozer)

 

*Como lidar com aqueles pecados constantes em nossas vidas?  Como entender a graça de Deus neste caso?  1) Aproveitar a minha posição em Cristo: Amado e aceito  2) Reconhecer que Deus não me trata conforme os meus pecados (cf. Sl. 103)  3) Buscar a Deus, e permitir que Jesus viva sua vida através de mim (que eu sou morto ao pecado, que não tem mais domínio sobre mim!)

 

*Ministrar para outros baseado neste mesmo amor de Deus.  Nos liberta para amar sacrificialmente, porque somos seguros no Seu amor.  Um amor leal, persistente, compassivo, tolerante, paciente.  Preciso saber receber graça para poder compartilhá-lá!  Se não, eu me torno intolerante, crítico, impaciente com outros como eu sou comigo mesmo.

            --Será que nós amamos uns aos outros desta maneira?

            --Será que temos esse tipo de ministério com as pessoas para quem ministramos?  Ou usamos e abusamos das pessoas para nossos fins?

 

O povo de Deus, mesmo afastado de Deus (distante) é perseguido pelo amor-fiel do Senhor.  Mas também precisa ser purificado, para poder aproveitar de todos os privilégios de comunhão.

 

 

III. PURIFICACAO: A Graça de Deus Disciplina seu Povo (1:4-9; 2:6-7, 13; 3:3,4; 4:1-5

 

O amor-fiel de Deus não nos deixa em paz, porque sempre está nos buscando, nos perseguindo.  Mas este amor-fiel nos ama tanto, que não nos deixa a sós em nosso pecado.  Nos tira dali, mas às vezes precisamos experimentar a dor para nos fazer sair da lama.  Temos conceitos errados da correçã de Deus!  É um amor firme, não "mole".  Amor exige disciplina. 

 

            A.  História:

 

1:4-9 Os nomes dos filhos de Oséias ilustram a disciplina de Deus contra seu povo.

 

3:3  Gomer foi isolada por um tempo para ser purificada, provada.

 

            B.  Israel:

 

2:6,7  julgamento de Israel para atraí-lo de volta

 

3:4  afastados da terra por um período

 

4:3-5 julgamento contra a terra e o povo

 

*A disciplina de Israel foi baseada na aliança, expressão do amor-fiel de Deus para com Seu povo.

 

*Deus odeia o pecado, e não pode deixar que Seu povo continue atolado nele.

 

*A disciplina do povo de Deus sempre visa restauração, não punição ou castigo.

 

            C.  Aplicação:

 

*Deus nos disciplina porque Ele nos ama (Hb. 12:7,8)  Ele quer que sejamos como Jesus, e nos purifica e disciplina para que tais transformações aconteçam.

 

*O nosso conceito de Deus é de um Deus que castiga e pune, como se cada falha da nossa parte recebesse umas varadas divinas.  Muitos de nós vivemos como escravos, e não como filhos de Deus!  Ficamos esperando que Deus desça a lenha, mas este é um conceito falso de Deus!  Deus disciplina somente quando necessário, e no que for necessário. Nunca vai além!  Sua bondade e misericordia nos levam ao arrependimento.  Assim, tudo que acontece na vida do filho de Deus é produto do amor de Deus!  (Rm. 8:28)

 

Sl. 103: 10, 13,14  "Não nos trata segundo os nossos pecados, nem nos retribui consoante as nossas iniquidades. . . . Como um Pai se compadece de seus filhos, assim o Senhor se compadece dos que o temem. . .   Pois ele conhece a nossa estrutura, e sabe que somos pó."

 

Distantes de Deus, seu amor-fiel nos persegue, e depois nos purifica através de disciplina.  Tudo tem um propósito: Para preservar e restaurar a nossa comunhão com Ele, e assim desfrutar do seu amor-fiel.

 

 

IV. PRESERVACAO: A Graça de Deus Restaura Seu Povo (1:10-2:1, 2:14-20, 3:1-3; 3:5, 11:8-11, 14:4) 

 

Deus não pára até conseguir o seu alvo!  Quer seu filho ao Seu lado!  Tudo é válido para conseguir este objetivo.

 

A.    História:

 

3:1-3 O profeta compra de volta a sua própria esposa e a restaura aos privilégios do relacionamento conjugal

 

            B.  Israel:

 

2:23* De volta à terra, mudança de nome, renovação da aliança

 

3:5 Buscarão ao Senhor; se aproximarão do Senhor e da sua bondade

 

14:1,2, 4 amado, curado, não mais disciplinado

 

 

            C.  Aplicação:

 

*Há pelo menos duas condições para restauração no livro:

 

            1) Confissão de pecado (14:1,2): voltar para Deus, buscar a Deus

            2) Amar a Deus (hesed) (6:4-6): declarar nosso amor por Deus

 

*Deus nunca nos rejeita!  Nunca é tarde demais para voltar ao Seu amor.

 

*Deus não mantém "listas de pecados".  Somos puros aos Seus olhos, aceitos.

 

*Deus sempre está interessado em renovar nosso relacionamento com Ele!

 

 

Conclusão:  Há pecado no seu passado que pesa até o dia de hoje?  Se sente perseguido por culpa?  Se já resolveu, está resolvido.  O amor fiel de Deus restaura Seu povo!  Nos deixa limpo, puro! 

 

Está duvidando da sua posição perante Deus?  O amor fiel de Deus o tem cercado cada momento de cada dia. 

 

Está se sentindo distante de Deus?  Ele não mudou!  Está esperando para encontrá-lo.  Basta você dizer a hora do dia ou da noite.  Ele quer preservar e melhorar o relacionamento.

 

Recapitulação:

1) O problema é que nos afastamos da graça de Deus pelo nosso pecado 

2) Deus nos persegue com seu amor-fiel

3) Deus nos disciplina por causa do seu amor-fiel 

4) Deus nos restaura pelo seu amor-fiel

 

            A Lição:  Na hora em que se sente mais distante de Deus, volte para Seu amor-fiel.