Naum

 

Se Deus é Por Nós...

Naum

 

Você tem inimigos?  Ou alguém que você não suporta?

 

"Quem, eu?  Sou cristão . . . não odeio a ninguém!"

 

Mas o que aconteceu quando você ...

 

            *Está dirigindo e um “barbeiro” entra na pista sem avisar, joga seu carro fora da pista e destrói dois pneus novos

 

            *Tem um vizinho, que cada fim de semana faz uma festa tão barulhenta que você não consegue dormir

 

            *Tem um parente que sempre mete seu nariz nos seus negócios . . . fala como você deve criar seus filhos

 

            *Trabalha com um colega que fala mal de você ao patrão . . .

 

            *Estuda com um professor que o persegue todos os dias

 

            *Um ex-namorado(a) fala mal de você

 

Nestashoras o nosso desejo volta para aquelas leis no VT que exigiam o que os romanos chamavam de Lex Talionis: olho por olho, dente por dente, mão por mão.  Queremos satisfação!  Temos direitos!

 

Nãohá dúvida alguma de que o cristianismo é uma religião de amor.  Uma das suas marcas que mais chama atenção do mundo, é a maneira como o crente deve tratar os seus inimigos.  Veja Rm. 12:14-21 . . .

(cf. também    Mt. 5:43-48     Lc. 6:27-38      Ef. 4:31-5:2     Mt. 18:21-35   Cl.3:13,14)

 

Nateoria, bonito.  Mas, e na prática? Viver o que estes textos ensinam é totalmente impossível para você . . . e para mim.  Sei disso, porque luto com a minha idéia de justiça.  Luto mesmo com meu desejo de me vingar daqueles que me tratam mal, que falam mal de mim, que me ofendem, que me judiam!

 

Oassunto: Vingança e o Cristão.  O tópico surgiu por uma necessidade em minha vida--uma situação daquelas--alguém que foi injusto para comigo e minha família, alguém que machucou uma pessoa da nossa família, alguém que, na minha opinião, merecia castigo, a justiça de Deus.

 

Comoresultado, tenho lutado com uma série de emoções interiores.  Qual deve ser a minha atitude para com pessoas que realmente me prejudicam, ou que ofendem o próprio Deus?  Confesso que muitas vezes não sei se estou sendo justo, bíblico, piedoso, ou fazendo o trabalho do diabo.

 

Como que o crente deve enfrentar a injustiça?  Como que responde quando judiado?  O que fazer quando sou mal tratado?  Há justiça?  Onde está o eqüilíbrio entre amor pelo próximo e justiça?  Entre misericórdia e eqüidade?  Entre santidade e satisfação da nossa causa?  Entre graça e justiça?

 

            *Sl. 137:8,9, 1 Tm. 1:20, 2 Tm. 4:14

 

A resposta vem de uma fonte inesperada, o livro de Naum... É um dos profetas  "menores", mas que tem uma mensagem "maior" para nós.  É o livro que o profeta Jonas provavelmente queria escrever.

 

Vamosinvestigar dois lados da moeda da fidelidade de Deus.  Ambos trazem conforto para nós, o povo de Deus.  Mas são duas maneiras diferentes de encarar a mesma mensagem.

 

Ler Naum 1:1-8

 

I.  Se Deus é por Nós, Quem Será Contra Nós?   cp. 1

 

Há descanso para o filho de Deus! Deus nos defende!  Não sabemos exatamente quando, ou onde, mas temos certeza de que Ele vê, Ele percebe, Ele nos ouve, Ele sabe o que nós passamos.  Cf. Rm. 8:31-35

 

Contexto   Israel (norte) foi cativo em 722 a.C. para Assíria (Nínive capital).  O povo assírio foi conhecido pela sua crueldade e violência.  Cf. Jonas 3:8

 

Exemplos:Cortaram as mãos e pés das vítimas, furaram os olhos, cortaram o nariz, as orelhas, e colocaram em cordas para fazerem enfeites.  Decapitaram seus cativos e fizeram pirâmides com as cabeças em frente as cidades inimigas.  Passaram anzóis pela boca dos prisioneiros de guerra, que faziam desfiles ligados um ao outro com uma corda. Hospedavam reis e nobres cativos em casinhas de cachorro.  Mutilaram crianças nas cidades capturadas (Na. 3:10).

 

Jonasfoi enviado cerca de 100 anos antes para eles, com uma mensagem de esperança, amor, graça e e misericórdia.  E o povo se arrependeu.  Mas o arrependimento não durou, e não muito tempo depois, Deus teria que julgar o povo rebelde e cruel.

 

Opovo de Assíria também foi conhecido por sua arrogância.  Cf. 2 Rs. 18:13-19:37; Is. 36, 37 e a mensagem de Senaqueribe contra Ezequias e Deus.  Blasfemou a Deus!

 

À luz destes fatores, lembremos da aliança de Deus com Abraão.  Cf. Gn. 12:3!!  Esta aliança é a base da mensagem da condenação de Nínive no livro de Naum.  Um outro princípio surge:

 

O homem ignora a Palavra de Deus a seu próprio perigo.  Há hora em que a misericórdia de Deus acaba.

 

Como em todos os profetas, detectamos duas mensagens principais neste pequeno livro:  Condenação e Consolação.  São 2 lados da mesma moeda!   Naum foi escrito para o povo do reino do sul, Judá, como conforto.  Veja 1:11,13,15, 2:2.  A condenação de um inimigo do povo de Deus traz consolação para o povo de Deus!

 

Defato, a mensagem de Naum nunca foi direcionada para o povo de Assíria.  Já havia perdido sua.  O livro é um livro de conforto para o povo de Deus de todas as épocas que sofre às mãos de um mundo hostil, cruel, arrogante, e injusto.

 

A.  O Caráter de Deus: Vingador e Misericordioso (1:2-8)

 

EmDeus, há perfeito eqüilíbrio entre amor e justiça.  Amor sempre vem primeiro.  Mas a luz rejeitada traz justiça.  Às vezes demora, mas vem.

 

Nolivro de Jonas encontramos o primeiro passo: Graça e amor.  Uma chance, apesar da grande violência e blasfêmia de Assíria.

 

Nolivro de Naum encontramos o segundo passo na disciplina dos inimigos do povo de Deus.  Como regra na Palavra de Deus, sempre há uma primeira chance de amor, graça e misericórdia.  Somente depois vem a condenação, justiça, e ira.  Esta é a solução da tensão que experimentamos entre amor e justiça.

 

O cristão precisa descansar na soberania do Único ser no universo capaz de lidar com pecado desta forma!  Ele sabe.  Ele vê.  Ele age.  Deus não muda, mas dá uma segunda chance para o homem que se alinha com Ele.  Nossa responsabilidade é de descansar, e não exigir  vingança! 

 

B.  A Causa da Vingança (1:9-15; cf. 3:1): Luz Rejeitada, Arrogância contra Deus (cf. 2 Rs. 18)

 

Deus é sensível às nossas necessidades!  Deus sabe!  Podemos descansar nEle, e não andar agitados, preocupados, como se fossemos responsáveis pelo julgamento dos pagãos ou até mesmo dos cristãos ao nosso redor!  Não preciso me vingar, se eu sei que Deus está por mim!

 

Exemplos bíblicos:Estevão (At. 7:60)          Jesus (Lc. 23:34)        Paulo (2 Tm. 4:14)

(cf. 1 Tm. 1:20 )  Rei Davi (Nabal/Abigail 1 Sm. 25:26*, 31,33; cf. 25:36-39;  Saul na caverna 1 Sm. 24, 26; Salomão com Joabe 1 Rs. 2:6; Simei 1 Rs. 2:8,9; cf. 1 Rs. 2:28-46)  Joabe/Abner 2 Sm. 3:27ss.  Cf. Salmos imprecatórios

 

Aplicação:

 

*Aoenfrentar oposição, perseguição, injustiça, etc., o cristão deseja 1) a restauração/conversão dos seus inimigos ou, se não for possível, 2) a justiça e vindicação do caráter de Deus.  A graça de Deus tem prioridade sobre a ira, mas chega a hora em que chega!  Foi isso que Jonas não entendeu, e nós também.  Na vida do cristão a ordem é sempre Jonas e depois Naum. Podemos ficar satisfeitos pelo fato de que no fim, tudo dá certo!  Ou nossos inimigos serão convertidos, ou castigados.

 

*Deusdefende/protege Seu povo!  Cuida dos interesses dos Seus.  Vê tudo que acontece contra seu povo.  Mesmo em situações impossíveis, Deus é suficiente para nós!  Devemos descansar na proteção divina!  Não precisamos nos preocupar com a nossa própria defesa, com os nossos direitos, com confrontações ou reivindicações!  Tira a ansiedade, preocupação, etc..  Se Deus é por nós, quem será contra nós? Cf. Sl. 131; Mt. 11:28-30; Rm. 8:31-34

 

*Deixea vingança nas mãos de Deus!  Ele é o único capaz de fazê-lo.  Nunca deu para nós esta responsabilidade, pois somos incapazes de julgar corretamente, com misericórdia e justiça.  Nunca devemos tomar em nossas mãos a responsabilidade de dispensar justiça.

 

*Devemosesperar com paciência a resposta de Deus quanto aos nossos inimigos.  Ele é longânimo tanto para com os perversos quanto para conosco.

 

*Pelasegurança que temos na justiça e na misericórdia de Deus, somos livres para amar ao nosso próximo, e até ao nosso inimigo.  Sabemos que Deus toma conta da situação!  Cf. Mt. 5:38-48, Lc. 6:27-38, Rm. 12:14-21

 

*Senão fosse assim, nós mesmos não estaríamos aqui!  A misericórdia de Deus que demora para julgar nosso inimigo,  também nos levou ao arrependimento!  Cf. Rm. 11:22: "Considerai, pois, a bondade e a severidade de Deus: para com os que caíram, severidade; mas para contigo, a bondade de Deus, se nela permaneceres;"

 

*Opoder de Deus na vingança dos inimigos de Deus é uma fortaleza e traz consolação para o povo de Deus.

 

Este lado da moeda traz conforto para nós.

 

II.  Se Deus é Contra Nós, Quem Será por Nós? (cps. 2 e 3)

 

O homem pode fazer o que quiser para escapar o julgamento de Deus, mas não adianta.  Ninguém resiste o decreto de Deus.  Uma vez que o homem rejeita a luz definitivamente, não há mais chance.  Julgamento e justiça certamente virão. 

 

Veja 2:13, 3:5, 19

 

A.  As Características da Destruição:  Caos, crise, calamidade, confusão  Cf. 2:1-13

           

2.  A Causa da Destruição: Crueldade (3:1-19)

 

Deus tinha tudo sob controle.  Ele cumpre Sua Palavra (Gn. 12:3).  Mesmo que, às vezes, demora (2 Pd. 3:9-11)

 

João 10:27-30!!  Deus cuida dos Seus.

 

Aplicação:

 

*Deus é maior que os nossos inimigos (1 Jo. 4:4).  Deus luta por nós contra os inimigos.

*Deus tem tudo sob controle.

*Deus é fiel ao seu povo.

*Deus é justo no julgamento.  Longânimo, por causa do seu amor, mas definitivo no juízo pela soberania.

*Um dia Deus destruirá todos os Seus inimigos.

 

Conclusão:

 

Para nós crentes, há consolação: Se Deus é por nós, quem será contra nós?  Podemos descansar.  Devemos abrir mão na nossa amargura, dos nossos direitos.  Podemos orar por nossos inimigos. Para os incrédulos, há condenação.  Primeiro vem a oferta de amor e graça..  Eventualmente a justiça de Deus será manifesta.

 

Descanse no Senhor!  Ele é por você.  Você não quer ficar livre do seu desejo por vingança?

 

            Idéia: O cristão pode descansar no amor e na justiça de um Deus soberano que sempre age na                         hora certa.

 

            Apelo:Se você está carregando o peso insuportável de desejos de vingança . . . o fardo de amargura . . . a responsabilidade pela "justiça" do mundo . . . é hora de entregar tudo a Deus.  Não fará justiça o Juiz de toda a terra?