Malaquias

 

Adoração Verdadeira                                                                                                                                       

Malaquias

 

"O maior obstáculo à adoração

É um Deus pequeno no coração."

 

Erauma vez que a Rainha da Inglaterra veio visitar o Presidente da República em Brasília.  Como parte da celebração, houve um sorteio entre os moradores da cidade para formar um grupo pequeno de pessoas que assistiriam aquele encontro histórico.  A família Silva foi sorteada para participar de uma reunião marcada para 9:00 da manhã no domingo seguinte.

 

AD. Carmem ficou mais empolgada que o resto da família.  De fato, no decorrer da semana quase todos esqueceram do compromisso.  Sábado à noite passearam até quase meia-noite, e depois assistiram um filme até 2:00 da madrugada.  Na próxima manhã, D. Carmem acordou com um susto--já era 8:15!  Tentou acordou o Sr. Fábio, mas descobriu que ele não queria ir, pois haveria uma corrida de Fórmula Um na televisão.  Finalmente concordou em acompanhar os outros, e a família preparou-se com muita pressa e não um pouco de confusão.  Mas conseguiram chegar, se não em tempo britânico, pelo menos antes das 9:10.

 

Enquantoa música da entrada da grande Rainha e do Presidente tocava, o guarda acompanhou a família para seu lugar.  O Sr. Fábio reclamou por ter que ficar tão na frente.  D. Carmem também ficou chateada ao perceber que ficou ao lado de uma das suas vizinhas que não gostava nem um pouco, a D. Denise.  Uma vez sentados, se distraíram lendo um panfleto que haviam recebido na entrada, e estudavam o calendário de atividades marcadas para aquela semana na capital.

 

Durante o hino nacional, Junior penteava o seu cabelo, enquanto D. Carmem procurava na bolsa por umas balas para as crianças.  Houve muitas formalidades no encontro, e o pai quase pegou no sono duas ou três vezes.   Finalmente ele tirou do seu bolso alguns cartões com dados e estatísticas sobre a última Copa, e começou a memorizar as estatísticas. Os dois filhos mais jovens passaram o tempo durante o discurso da rainha desenhando e pintando figuras e fazendo aviões do panfleto.  O Junior não ouviu quase nada, pois estava paquerando uma menina que havia encontrado no estacionamento.

 

Finalmente,chegou a hora em que cada família entregaria uma lembrança à rainha.  De repente Sr. Fábio olhou para sua esposa com um olhar de pânico!  Havia esquecido desta parte do programa.  Para não ficar envergonhado, rapidamente sentiu no seu bolso, mas só achou uma coisa.  Levantou-se rapidamente e levou-a para frente para a rainha--um lenço usado.

 

Comesta cerimônia, a reunião terminou.  Na saída, Sr. Fábio cumprimentou a Rainha e parabenizou-a pelo grande discurso.  Uma vez fora, correu para o carro para não perder o final da Fórmula 1.   E todos viveram felizes na sua indiferença para sempre.

 

Muitas vezes, a minha presença perante o Rei do universo não passa de um ato religioso e hipócrita.  Ultimamente tenho refletido sobre a adoração verdadeira, o culto genuíno.  Por que eu vou à igreja? Creio que o culto cristão na minha vida é um dos campos de batalha mais disputado entre Deus e Satanás.  Teria medo de saber quantas vezes eu realmente adorei a Deus nos cultos da igreja! Olhando para mim mesmo, descubro que muitas vezes minha presença na igreja foi muito mais um ato de religiosidade, de tradição, rito, e legalismo do que adoração verdadeira.

 

Creio que há muitas razões por trás disso.  Realmente é uma batalha!  A verdadeira adoração é trabalho . . . é DAR . . . Não é um pic-nique!  Há tantos obstáculos para superar, há tantos conceitos errados de "culto" e de Deus em nossas cabeças!  A mornidão, a indiferença espiritual, a apatia, a tradição, são inimigos do culto verdadeiro.  Mas gostaria de sugerir que o problema principal no nosso culto é que não conhecemos o nosso Deus!    As nossas mentes estão tão preocupadas com nosso "eu"; focalizamos tanto em "receber uma benção"; somos tão descuidados no preparo para o culto; fazemos tanto barulho sem substância; olhamos tanto para as pessoas ao nosso redor; desligamos as nossas mentes com tanta facilidade; caímos na rotina. Perdemos de vista o por que da nossa adoração, e mais importante, o quem da nossa adoração.  O problema é que temos um relacionamento errado com Deus!

 

um livro da Bíblia que fala deste mesmo problema--o último do VT, o livro de Malaquias.

 

Contexto:  Povo do retorno, depois da reconstrução do Templo (mas essa vez, sem a presença da glória do Senhor) . . . muros reconstruídos em volta de Jerusalém.  O povo está de volta à. "vida normal"--sem idolatria, mas também sem coração!  O coração do povo e dos líderes religiosos estava longe de Deus!  Apatia, indiferença, ritualismo, legalismo, sem substância, sem coração, sem fervor, sem Deus!  A situação ficou tão séria que Deus gritou (1:10) "Oxalá houvesse entre vós quem feche as portas" do Templo."  Deus não suportava mais o povo morno, que ia à “igreja” para seu próprio benefício, e não para adorar a Deus.  Imagine!  Deus queria expulsar todos da sua presença e colocar uma placa na frente do Templo dizendo "Fechado!"

 

Nestecontexto Deus chama a atenção do Seu povo.  Inicia uma série de interrogações, como se fosse um tribunal.  Ele desafia o vazio no coração e no culto do povo.  Mas eles são tão endurecidos, tão bitolados, que discutem com Deus.  "Desculpa, Senhor, mas o Senhor está enganado.  Nós mornos?  Impossível!"  Em cada instante ele reprova o povo com evidências que demonstram a veracidade das suas acusações.

 

Nestelivro há vários ciclos de debate entre Deus e o povo, em que eles serão processados por sua indiferença espiritual.  Cada ciclo trata de um sintoma de culto falso na nação.  Hoje vamos resumir estes ciclos em quatro. (Para uma tabela que resume todos, veja o final desta mensagem).  São 4 obstáculos no nosso relacionamento com Deus que prejudicam a adoração verdadeira.  Mas temos de tomar cuidado.  Não queremos tratar dos sintomas, sem descobrir a raiz.  O problema principal na adoração da nação foi um conceito errado da grandeza do seu Deus.   A minha oração é que o Espírito Santo provoque em nós uma renovação do nosso conceito de Deus, e também uma transformação do nosso louvor.

 

            Idéia:  "O obstáculo maior à adoração,

                                   É um Deus pequeno no coração."

 

I.  Duvidamos do Caráter de Deus (1:2-5; 2:17-3:6; 3:13-4:3)   (Atributos = AMOR, Justiça, Bondade)

 

Ler: 1:2 (amor)         *ingratidão                  *Murmuração  *esquecimento           *amargura                                          *egoísmo   (corações cheios de mágoas,  preocupações, dúvidas, etc.)

 

2:17 (justiça); Não há justiça!  Deus não vê!  Deus não se importa!  Não paga!

            *Resposta: 3:1-6 (A vinda do Messias para dar juízo)

 

3:13-15 (bondade)  "O que adianta?"  Não vale a pena!  Por que servir ao Senhor? O que nós ganhamos?            *Ciúmes do incrédulo *Inveja?

 

Ilustração:  Posso imaginar um Israelita dizendo, "Com amigos como Deus, quem precisa de inimigos!"  "Se este é amor, não quero ver ódio!"

 

Aplicação:  Posso imaginar Deus falando para nós hoje, "Eu vos tenho amado!"  Mas alguns respondem, se não em voz alta pelo menos no seu íntimo, "Em que nos tem amado?" 

 

*Inimigos do culto verdadeiro são ressentimentos, murmuração, um espírito crítico, preocupações, e a incapacidade de focalizar as muitas coisas que Deus tem feito em nossas vidas!  Comparação, competição, e intolerância mostram insatisfação com aquilo que o AMOR de Deus nos proporcionou. 

 

*Preocupações e distrações roubam o louvor de Deus.  Ansiedade mostra dúvida do amor de Deus!  No culto verdadeiro levamos as preocupações ao trono da graça e lançamos toda ansiedade sobre Ele.  Mas a mente que vagueia durante o culto com suas preocupações confessa que duvida o amor e o cuidado de Deus.  Deus é capaz de cuidar de ti!

 

*Cansado no serviço? = perdeu a sua perspectiva da Pessoa de Deus!  Será que vale a pena?

Perdemos de vista o fato de que Deus é um Grande Rei!

 

Ilustração:Imagine você no serviço de um grande rei . . . nenhum sacrifício seria grande demais; nenhum trabalho seria duro demais!

 

Transição:Primeiro obstáculo: o Caráter de Deus!  Raiz de todos os sintomas!  Sem acertar este problema, não adianta.  Não consegue transformar seu culto a Deus, sem conhecer a grandeza do Seu amor, justiça, e bondade.


II.  Desprezamos o Nome de Deus (1:6-2:9)(Atributo = Grandeza/Soberania)

 

A.  O Problema: (Ler: 1:6-8,10; 13; 2:7,8) (Um Deus pequeno!)

            *Falta de adoração verdadeira (1:6)               *Ofertas imundas (1:7)

            *Menosprezo do ofício sacerdotal (1:7,8)                  *Ritualismo

            *Profanação (1:12)                                                     *Inversão de valores (1:12)

            *Apatia (1:13)                                                *Engano (1:14)

            *Quebraram a Aliança (c/ Levi) 2:1-5ss.)                   *Não ensinaram a verdade (2:6,7)

            *Injustiça nos lábios (2:6,7,9)                                   *Enganaram/fizeram tropeçar a muitos (2:8)

            *Parcialidade no julgar (2:9)

 

B.  A Solução: (Ler 1:6, 11, 14Deus é um Grande Rei!!!  Criador, Soberano, Majestoso, Santo, Pai, Mestre, Rei, etc.

 

Aplicação:  Deus fala "Vocês no Brasil desprezam o meu nome!"  E respondemos, "Em que te havemos profanado?"  "Nós nunca faríamos isso!"

 

*Cada vez que damos as "sobras" para Deus:

            Menosprezamos a Palavra do Rei (fazendo outras coisas: "Que canseira!" vs. 13)

            Não preparamos para os nossos ministérios e prejudicamos a outros

            Entramos na presença do Rei com cabeça cheia de tudo menos Deus

 

*Agimos como se tudo para Deus era "bônus"!  Puxa, Deus realmente tinha sorte quando eu entrei no seleção dele!  Como Deus deve estar contente que eu decidi vim adorá-lo hoje!"  Que Deus miserável temos!  Mediocridade deve ser anátema no serviço do Rei do Universo.

 

Estes são sintomas de um problema--algo errado no nosso relacionamento com Deus, porque não conhecemos a Deus de verdade.

 

*Algumas sugestões práticas (depois de reconhecer que Deus é um grande Rei!): Imaginar que você foi convocado para uma audiência com realeza!  No mínimo . . .

 

*1) Começar a se preparar no sábado à noite (exs.: passar roupa, dormir mais cedo, etc.)

*2) Acordar 15 minutos mais cedo domingo de manhã

*3) Chegar 10-15 minutos antes do início do culto; ore e prepare seu coração

*4) Procure um lugar mais perto da frente da igreja

*5) Tente descobrir o tema do culto.

*6) Pense na letra da música

*7) Ore no seu íntimo junto com os regentes

*8) Tome notas da mensagem, mesmo que jogue fora depois

*9) Não olhe para as pessoas--sua roupa, seu "jeitão", seus costumes de louvor

*10) Fique livre para adorar a Deus da melhor maneira possível para você--olhos fechados, não cantar uma estrofe para prestar atenção à letra, levantar as mãos, bater palmas.  Mas não faça aquilo que vai prejudicar o louvor daqueles ao seu redor (decência e ordem), e não julgue-os

 

*Se Deus é um grande Rei, merece o melhor de tudo!

*Entrar com coração cheio, com vibração, reflexão, celebração e meditação

*Damos para Deus o melhor na oferta, no tempo, nos talentos

 

Já vimos 2 obstáculos ao culto verdadeiro--Duvidar o caráter de Deus; Desprezar a Grandeza de Deus.

 

III. Defraudamos o Povo de Deus (2:10-16)  (relacionamentos) (Atributo = Fidelidade/Santidade)

 

Ler: 2:10,11,13,14,16

 

            *Desleais uns com os outros (2:10)  *Idolatria (2:11)

            *Emoção falsa (?) (2:13)                    *Divórcio/Adultério (2:14,15)

            *Violência (divórcio)

 

            Aplicação:  "Mas nós não temos este problema"

 

*Inimigo da adoração verdadeira é relacionamentos quebrados no Corpo de Cristo

            **1 Jo. 4:20,21  "Quem não ama a seu [professor/aluno/pastor/vizinho/próximo], a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê"

 

*Relacionamentos familiares em primeiro lugar. 

            Namoro misto    Pais/filhos                 Marido/Esposa             Irmão com irmã

 

*Relacionamentos com outros do corpo.   Fofoca contra irmãos

            Equipe--alunos            Alunos--equipe

 

*Emocionalismo sem arrependimento não vale nada!  Não conseguimos enganar a Deus

            Hipocrisia--fingindo ser o que não somos

 

Deus é um grande Rei!  Capaz de sarar relacionamentos quebrados!

 

Vimos 3 obstáculos: Duvidar--caráter; Desprezar--nome;  Defraudar--povo.

 

IV.  Desviamos o Dízimo de Deus (3:7-12)  (Atributo = Soberania/Dono de Tudo)

(conseqüência natural--uma expressão de louvor)

 

Ler: 3:7,8,10 (Problema de quantidade!)

 

*Roubaram a Deus (3:8)         *Mentiram para Deus (3:8)

Cf. Pv. 3:5,6, 9,10

 

            Aplicação: Mas nós nunca roubamos a Deus!  O cristão está debaixo da graça de Deus, não da lei! O dízimo não foi ensinado no NT!  MAS a implicação do NT é que debaixo da graça de Deus devemos dar até MAIS!

 

*Damos o mínimo possível.  Nivelamos por baixo! (10% para cumprir uma "obrigação")

            VT: 23,3% por ano!  Lei!  Por que?  Temos UM DEUS PEQUENO!

 

*Procurar aumentar a porcentagem--não o total, mas a % da sua renda

 

*Damos pensando que fizemos grande coisa; Chamamos atenção ao nosso sacrifício

 

*Deus é soberano!  Dono de tudo!  Quem somos nós? O que temos que Ele não nos deu primeiro?

 

*Problema com teologias de prosperidade: Sempre tem um olho no que eu receberei.  Que Deus pequeno, que precisa comprar louvor!

 

            O Problema: Perspectiva errada: O que EU vou ganhar!  A verdadeira adoração não se importa com aquilo que vai receber!  Se receber qualquer coisa, é bônus!  (Explicar a aliança do VT, e o princípio no NT de benção depois de dar.) (Estas perguntas revelam a ênfase: Eu ou Deus)

 

*Adoração de Deus não necessita que você sente alguma coisa, mas que você alguma coisa!

*Emoção não faz parte, mas pode acompanhar adoração verdadeira

*Servimos a Deus por causa daquilo que Ele É, não somente pelo que tem feito ou fará.

*Não damos para receber, mas por que já recebemos!

*Privilégio de participar na obra do Grande Rei!

 

            A Pergunta Chave: Por que você vai à igreja?

 

            *Encontrar com seus amigos?

            *Ouvir" "as últimas" do seu círculo de colegas?

            *Para paquerar aquela menina?

            *Marcar pontos com Deus ou com o pastor , ou talvez ganhar uma "benção" pela sua presença na igreja?

            *Por obrigação?

            *Para ouvir uma novidade bíblica para aumentar sua coleção de conhecimento bíblico?

            *Para se sentir bem no louvor, ou para ouvir a música bonita?

            *Por que você não tem a mínima idéia o que você faria no domingo se não fosse para a igreja--é o que você sempre fez, um hábito, uma tradição?

            *Para completar sua lista de pessoas a serem encontradas para um programa

            *Assistir o "show" do coral, ou dos seus filhos, ou do professor da EBD, ou do pastor

           

Preciso confessar.  Creio que já fui à igreja por todos estes motivos!  Mas nenhum deles é uma motivação correta.  De fato, diria que se este foi o motivo de você ir à igreja, do ponto de vista de Deus foi como se você nem estivesse presente!  Talvez melhor, ele prefere que você nem fosse nestas condições!

 

 

Conclusão:  Quão grande é o seu Deus?

 

            Recapitulação:   Encontramos 4 obstáculos principais à adoração verdadeira.  Todos são sintomas de um problema mais sério.

 

            *Duvidaram o caráter de Deus           *Desprezaram o nome de Deus        

            *Defraudaram o povo de Deus           *Desviaram o dízimo de Deus

 

A chave em tudo isso é: Quem é Deus?

            1) Amor e graça: lançar sobre Ele toda a ansiedade, descansar nEle

            2) Grande Rei: digno de todo louvor e glória

            3) Soberano: digno de obediência

            4) Santo e Fiel: relacionamentos puros e leais

            5) Justo: acertará as contas

            6) Dono de Tudo: crer nEle o suficiente para dar

            7) Bom e Justo: Vale a pena serví-lo

 

            Aplicação Final:  Cuidado: Legalismo!!  Maior medo é que como resultado desta mensagem pessoas vão sair cabisbaixas, pensando "Vou tentar mais, vou melhorar, vou ser um cristão melhor.  A partir de hoje vamos acordar mais cedo, vou prestar mais atenção, vou dar mais dinheiro."  Este não é o ponto, em si.   A resposta correta é "Como nosso Deus é grande!  Como Ele me ama! Como Ele é justo e bondoso!"  Quando reconhecemos que servimos um grande Deus, os sintomas de indiferença espiritual em nosso culto desaparecem!

 

            Idéia:  "O obstáculo maior à adoração,

                                   É um Deus pequeno no coração."

 

A família Souza também foi sorteada para um encontro com realeza.  Durante toda a semana tiveram grandes expectativas da reunião.  Sábado foram dormir um pouco mais cedo, depois de ler juntos na enciclopédia um pouco mais sobre a monarquia.  A D. Kika preparou toda a roupa da família antes de dormir.  Acordaram às 7:00 para tomar café juntos, e conversar sobre o encontro.  Prepararam-se com calma, com música da Inglaterra tocando no toca-fitas.  Chegaram bem antes da hora, e escolheram os lugares onde poderiam ver a rainha em toda a sua glória.

 

Absorveram cada momento do programa, reconhecendo o privilégio enorme de presenciar e prestigiar realeza.  Na hora de apresentar suas ofertas, cada membro da família Souza, por não serem ricos, entregou algo que ele mesmo havia preparado--uma flor da pequena Sara;  uma concha do Joãozinho; um bordado da D. Kika, e uma placa de madeira do Dr. Valdir.  No final, saíram juntos, e tiveram boas conversas no pátio do palácio com vários novos amigos.  Viveram felizes, até o próximo encontro com realeza.

 

            Idéia:  "O obstáculo maior à adoração,

                                   É um Deus pequeno no coração."

 


                                                     Ciclos de Interrogação em Malaquias

 

CICLO/

TEXTO

ACUSAÇÃO

RESPOSTA

ATRIBUTO

PROVA/

CONSEQ.

           1

       (1:2-5)

"Eu vos tenho amado" (1:2)

"Em que nos tem amado?" (1:2)`

Amor de Deus

Destruição de Edom/Escolha de Israel

           2

     (1:6-2:9)

"Se eu sou pai, onde está a minha honra?" (1:6)

"Em que desprezamos nós o teu nome? Em que te havemos profanado?" (1:6,7)

Grandeza de Deus/

Soberania

Ofertas imundas (sobras)

Canseira no louvor

 

Fechar as portas!

           3

     (2:10-16)

"Judá tem sido desleal" (2:11)

"Por que?" (2:14)

Santidade e fidelidade de Deus

Divórcio, casamento misto, emocionalismo

           4

    (2:17-3:6)

"Enfadais o SENHOR com vossas palavras." (2:17)

"Em que o enfadamos?" (2:17)

Justiça de Deus

 

João e Jesus enviados como prova da justiça de Deus

           5

      (3:7-12)

"Roubará o homem a Deus?" (3:8)

"Em que te roubamos?" (3:8)

Soberania de Deus (Dono de tudo)

Falta de dízimos e ofertas

Bênção e abundância

           6

    (3:13-4:3)

"As vossas palavras foram duras para mim" (3:13)

"Que temos falado contra ti?" (3:13)

Bondade e justiça de Deus

Arrogância

Arrependimento e graça

Julgamento