Natal Segundo Mateus (I)

Natal Segundo Mateus (I)
Mateus 1:1-17 
Pr. Davi Merkh
 
Parece estranho que o Novo Testamento começa com uma genealogia --17 vss. de nomes numa árvore genealógica.  Ninguém querendo escrever um bestseller faria assim.  Mas Mateus assim fez. E o NT continua o maior bestseller no mundo.  Talvez haja algo importante aqui... 
 
Se você já fez uma leitura através da Bíblia, Mt 1.1-17, assim como 1 Cron 1-9 é um daqueles textos que se lê com ventilador fazendo as páginas voar . . . .Mas gostaria de sugerir que esse é um dos documentos mais importantes em todo o NT, e devemos lê-lo com lente de aumentar, examinando os detalhes e tirando lições preciosas para nossas vidas e especialmente em louvor a Pessoa de Jesus Cristo e à luz do seu nascimento. Cada evangelista tem sua própria perspectiva sobre Natal e a vida de Jesus.  Lucas vê a humildade de um Deus que se fe carne, se fez gente, e sua resposta é festa, alegria, celebração e MÚSICA.  Por isso CANTAMOS no Natal.  João, por sua vez, vê na vinda de Jesus nossa chance para nova VIDA, pois Ele é a LUZ do mundo e o maior PRESENTE que Deus já deu para este mundo.  Por isso celebramos com símbolos de VIDA, LUZ E PRESENTES. 
Mas Mateus é diferente.  Sua perspectiva reflete seu propósito no primeiro evangelho, o que liga o Novo com o Velho Testamento. Esse evangelho tem sabor judaico, mas com alcance mundial.  Mateus vê Jesus como o cumprimento de todas as profecias do VT, o Rei de Israel mas também o Salvador do mundo.  Por isso ele começa com uma genealogia que prova esse fato logo de cara.   Em vez de passarmos por cima desse texto, vamos examiná-lo detalhe por detalhe.  Vamos fazer CINCO observações que servirão como enfeites da árvore genealógica de Jesus. 
 
1.  Jesus é gente.   
 
A primeira observação—talvez óbvia, mais importante mesmo assim—é que Jesus é gente como a gente.  Olhando para essa grande linhagem, percebemos uma variedade enorme de pessoas.  Se fossem ficar diante de nós, provavelmente teríamos gente alta, gente baixa, gente cabeluda, gente careca, gente rica, gente pobre, gente boa, gente ruim--percebemos que Jesus, no sentido humano, tinha uma história familiar!  Num sentido real, ele é um de nós!  Ele também tem parte nesta árvore genealógica da humanidade (é interessante notar esse tema ainda mais desenvolvido em Lucas, que traça sua história até Adão—Lc 3!) 
Hebreus diz que, pela realidade da humanidade de Jesus, ele realmente é capaz de compadecer-se de nós: (Hb 2:14, 17; 4:15).  Ele entende.  Ele sabe.  Ele foi tentado como nós até o final do poder da tentação!  Experimentou toda a força da tentação, pois nunca se entregou!  Por isso Ele hoje é capaz de interceder por você e por mim!  (Hb 7:25) 
Natal para Mateus significa que Jesus é gente como a gente! 
 
2.  Jesus é  Rei (filho de Davi). 
 
Esse é o propósito do livro de Mateus--apontar para o Rei legítimo de Israel e do mundo.  O texto diz que ele era filho de Davi.  Para todo judeu, essa genealogia é super importante.  É como os documentos oficiais e reais que provam que Príncipe Charles da Inglaterra tem direito ao trono britânico.  Mateus está estabelecendo diante de todos que Jesus é o herdeiro do trono de Davi, e que nele se cumprem as profecias da Aliança Davídica, ou seja, que um descendente de Davi se assentaria no trono para todo sempre (2 Sm 7). 
Na genealogia de Jesus em Mateus 1, percebemos que Davi é central. Deus prometera a Davi que o cetro nunca mais sairia da familia dele, que seu reino seria eterno: A tua casa e o teu reino serão firmados para sempre diantes de ti; teu trono será estabelecido para sempre. (2 Sm 7:16). A coroa seria passada de geracão a geração.   Mas houve um problema.  Jeconias era “sujeito ruim”.  Tão ruim, que Deus em Jr 22:30 pronunciou uma maldição sobre ele e toda a sua família: Registai este como se não tivera filhos; homem que não prosperará nos seus dias, e nenhum dos seus filhos prosperará, para se assentar no trono de Davi, e ainda reinar em Judá. 
Agora enfrentamos um dilema.  Por um lado, Deus prometeu um reino perpétuo na linha de Davi.  Por outro, anunciou uma maldição sobre essa mesma linha.  Qual a solução?  O nascimento virginal!  Mateus nos mostra que, embora o cativeiro babilônico tivesse interrompido o reinado dos reis davídicos, mesmo assim, o direito ao trono continuava, e Deus preservava sobrenaturalmente essa linha até Jesus.  Mas olha o estado em que chegou--o legítimo rei de Israel seria José, mas era pobre carpinteiro caipira, cujo filho tinha que nascer numa manjedoura!    
A genealogia em Mateus nos mostra como Jesus teria direito ao trono de Israel através do pai adotivo, José.  Mas a genealogia de Lucas 3 mostra como Jesus tinha o direito físico ao trono, pois era descendente de Davi através de outro filho (Natã) e não Salomão.   Somente o nascimento virginal seria capaz de evitar a maldição e cumprir a bênção na família de Davi!   
 Natal para Mateus significa que Jesus é nosso Rei! 
 
3.    Jesus é bênção para todas as nações:   (filho de Abraão.) 
 
Parece um pouco superflúo dizer que Jesus era filho de Abraão.  Se era filho de Davi tinha que ser descendente de Abraão!  Mas Natal para Mateus tem um significado muito importante.  Jesus não somente cumpriu a aliança que Deus fez com Davi; ele cumpriu a aliança que Deus fizera com Abraão, uma promessa de que a família de Abraão chegaria a ser bênção para o mundo inteiro:  Sê tu uma bênção . .  Em ti serão benditas todas as famílias da terra. (Gn 12.1-3) 
A família de Abraão, o povo judeu, nunca realmente cumpriu esse propósito missionário.  Deus chamou o povo em Ex 19 para ser uma nação de sacerdotes, mediadores da graça de Deus para o mundo todo.  Mas sua atitude foi exemplificada por Jonas, que fugiu da presença de Deus para não ter que ser bênção para os gentios odiados. 
Mas Jesus era “filho de Abraão”.  Ele é o Salvador do mundo! Seu nome significa “Yahweh salva!”  Mateus olha para Natal, e ele pensa em missões!  (Cf. Sl 67) Por isso o evangelho termina com a Grande Comissão “Toda a autoridade (como Rei) me foi dada no céu e na terra; ide, portanto, fazei discípulos (súditos) de TODAS AS NAÇÕES . . . (Mt 28:18-20). 
Natal para Mateus significa missões, e nós também devemos ter nossos corações cheios do propósito missionário de Natal.  Deus nos abençoa para sermos uma bênção para outros. 
 
4.  Jesus é fruto e fonte da graça de Deus. 
 
Se olharmos bem para essa árvore genealógica, vamos perceber alguns frutos ruins.  Há alguns pontos altos, mas há muitos sujeitos suspeitos.  Se fossemos acreditar em maldição de família, a família de Jesus seria talvez a pior de todas!  Mas como pastor John McArthur diz, “Jesus fora enviado por um Deus de Graça para ser um Rei de Graça.  Seus credenciais testificam de graça real.”(4) Notem as pessoas incluídas em sua árvore genealógica: 
A) Mulheres: *Tamar (gentia cananita amaldiçoada, que enganou e se prostituiu com o sogro)*Raabe (uma prostituta cananita)*Rute (bis-avó de Davi, mas como moabita,proibida de entrar no Tabernáculo da presença do Senhor até a 10a geração!Dt 23:3)*Mulher de Urias (uma gentia, adúltera)*Maria (uma jovem  camponesa, pobre, simples, mas piedosa!)


Mas em todos esses casos, a graça de Deus era maior!  Quando alguns pregam maldição de família, esquecem da graça de Deus!  É graça, não maldição, que paira sobre a cabeça daqueles que se voltam para Deus (Ex 20:5,6 eu sou o Senhor teu Deus, Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem, e faço misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam os meus mandamentos.)    

Por quê essas mulheres foram incluídas?  Não era comum.  Mas foi uma amostra para o povo de Israel, leitores de Mateus, de que a graça de Deus se extendia, sim, para mulheres, gentias, pessoas de má fama.  De fato, o ponto é que essas mulheres, pela graça de Deus, acabaram MAIS FIËIS que o próprio povo de Israel!  Tamar mais fiel que Judá.  Raabe mais fiel que o povo no deserto.  Rute mais fiel que o povo na época dos juízes.  A MULHER DE URIAS aponta para Urias como mais fiel que o próprio Davi! 

B.  Homens. 

Quando examinamos essa árvore de Jesus, também descobrimos um bocado de homens ruins também.  Sem falar dos pecados do próprio Abraão, Isaque, Jacó, Judá . . . pense nos reis de Israel: Roboão (reino dividido)Abias, Jorão, Uzzias, Acaz (fizeram o que era mau perante o Senhor)Manassés (um sujeito MUITO ruim--2 Rs 21:6,7,9)Amom, Jeconias (reis do cativeiro) 

Jesus é fruto da graça de Deus, no sentido em que sua família foi atingida em dobro pela graça, amor não merecido, e ele nasceu nessa família.  Mas Jesus para nós é a fonte da graça divina.   

João também via esse aspecto do Natal quando declarava, E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai . . . porque todos nós temos recebido da sua plenitude, e graça sobre graça.  Porque a lei foi dada por intermédio de Moisés; a graça e a verdade vieram por meio de Jesus Cristo. (Jo 1:14, 16, 17) 

Não importa a família que você teve ou não teve!  A graça de Jesus é maior!  Certamente haverá lutas, mas não pense que há maldição pairando sobre você!  A genealogia de Jesus nos ensina quão largo e profundo e alto é o amor e a graça de Deus! 

1 Co 6:9-11 tais fostes alguns de vós, mas vós vos lavastes, mas fostes santificados, mas fostes justificados, em o nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito do nosso Deus.) Você e eu podemos começar um novo legado, pela graça de Jesus! 

Natal para Mateus significa que Jesus é a Fonte da graça divina!  

5.  Jesus é o climax da história. Jesus veio como clímax da história de redenção do povo de Deus e do mundo (Mt 1.16,17).  Para Mateus, Natal significa que todas as profecias messianicas do VT culminaram em Jesus.  Ele chegou na hora certa!:   Vindo, porém, a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, para resgatar os que estavam sob a lei, a fim de que recebêssemos a adoção de filhos Gl 4.4. 

Imaginem José e Maria no cartório de Belém... Se alguém tivesse tomado o tempo de verificar a linhagem de ambos, teria descoberto algo super interessante, uma coincidência extraordinária—que ele vinha de uma linha direto do trono de Davi, através do pai adotivo José, e uma linha direto para Davi pela mãe Maria. 

Mas também é interessante notar que, em termos de genealogia, Jesus também veio na hora certa.  Sabemos que o povo judaíco guardava cuidadosamente seus registros genealógicos.  Foi de suma importância para o povo saber de que tribo era, de que família.  Isso especialmente por causa da herança na terra, e até profissionalmente no caso dos levitas e sacerdotes, e da linha real de Davi.  Mas o que muitos não sabem é que no ano 70 d.C., todos esses registros foram destruídos pelos romanos.  Somente alguns anos depois de Jesus, seria impossível provar o direito de qualquer um da tribo de judá ser o herdeiro legítimo do trono de Davi!   

Jesus chegou na hora certa, em que as genealogias ainda provavam quem ele era. 

É interessante notar como Mateus estrutura a genealogia em 3 jogos de 14.  Sabemos pelo registro bíblico que há lacunas nesta genealogia, que Mateus propositalmente pulou alguns nomes para criar esse jogo de 14.  Por quê? 

    1)  Para destacar que Jesus é o climax da história do povo de Israel.  3 períodos da sua história, mas de 3 blocos de 2 x 7.  Em outras palavras, Jesus é o início da sétima série de sete.  Na Bíblia inteira esse número 7 tem significado de ponto final, ponto climático. 

    2)   Para destacar que Jesus é o Rei Davidico, pois “14" é a soma das letras em hebraíco do nome “David” (as letras do alfabeto hebraico servem como números)! 3) Para mostrar que em Jesus culminaram as profecias do MessiasEle é o filho de AbraãoEle é o filho de DaviEle é quem quebra as correntes do pecado 

Para Mateus, Jesus representa o clímax da história humana!

Conclusão Graças a Deus pela genealogia de Jesus!  Quantas lições aprendemos dela!  Talvez a lição principal seja o fato de que...

                             Idéia: Jesus é a fonte de graça real para o mundo inteiro.