57- Díscipulo ou Membro (Abril 2002)

A DINÂMICA DO DISCIPULADO

Discipulado é uma relação comprometida e pessoal onde um discípulo de Jesus Cristo ajuda outros discípulos aproximarem-se mais dele (Jesus Cristo) e assim, ajuda-os a se reproduzirem. Infelizmente, muitos que estão na igreja, quando se converteram não tiveram alguém para lhes ministrar pessoalmente, para orar com eles, para chorarem juntos, para treiná-los e amá-los. Alguns tiveram apenas um professor que abria a Bíblia e fazia uma série de estudos uma vez por semana, mas tudo muito teórico e sem projetos práticos, sem interação, sem comunhão, sem vida. Qual é o seu caso?

O discipulado formal produz muito pouco; o informal produz as oportunidades para ensinar através das circunstâncias da própria vida.

A igreja deve funcionar como uma família e não como uma instituição ou como uma organização. Devemos promover os relacionamentos ao invés de produzir apenas programas. Abaixo, você poderá fazer uma avaliação da sua relação com Jesus e Sua igreja.

O membro espera pães e peixes. O discípulo é um pescador.

O membro luta para crescer. O discípulo, por reproduzir-se.

O membro se ganha. O discípulo se faz.

O membro gosta de afago. O discípulo do serviço e do sacrifício.

O membro entrega parte dos seus desejos. O discípulo é solícito em tomar a responsabilidade.

O membro quase sempre murmura e reclama. O discípulo obedece e nega a si mesmo.

O membro reclama que o visitem. O discípulo visita.

O membro vale porque soma. O discípulo vale porque multiplica.

O membro sonha com a Igreja Ideal. O discípulo se entrega para fazer a Igreja Real.

O membro espera avivamento na Igreja. O discípulo é parte dele.

O membro é forte soldado na trincheira de defesa. O discípulo é soldado invasor da trincheira inimiga.

Existe um sonho, forte e intenso, de viabilizar os meios para que a mutualidade possa ser uma realidade marcante na nossa igreja: que os “membros” sejam discípulos multiplicadores, e que os novos convertidos entrem no mesmo processo.  Precisamos resgatar e viver o modelo bíblico no qual as relações pessoais, a mutualidade e o sacerdócio universal dos crentes são facilitados e onde discípulos são formados. Precisamos resgatar o modelo no qual todo o corpo coopera e trabalha para sua edificação. Ore, pense nisso, participe.

Pr. Silas Arbolato da Cunha

Abril/2002