Nana Neném (poesia)

"Nana, Neném"
Pr. Davi Merkh 
 
(Esses dois poemas foram inspirados pela música popular CAT’S IN THE CRADLE, por Harry Chapin nos EEUU durante a década 70.  Houve algumas adaptações e muitas mudanças.   Pedimos a gentileza de não publicar ou distribuir esses poemas sem a devida permissão do autor e citação da fonte original.)  

Versão 1


Meu filhinho chegou o outro dia.
Entrou no mundo como devia.
Mas, com muitas viagens e clientes pra ligar,
Eu não estava lá quando começou a engatinhar..
E já falava antes de eu reparar.
 
E dizia, "Pai, como você quero ser.
Com o senhor vou parecer."
 
E "Na-na Neném", e "O Sabão"
"Três Palavrinhas", "Cai-Cai Balão"
    -Quando volta para casa?
    -Filho, não sei não.
    -Mas, encontraremos, depois, Filho.
    -Nos divertiremos - depois. 
 
 
 
 
Meu filho fez 10 anos o outro dia.
Disse, "Obrigado pela bola", com  tanta alegria.
-Vamos jogar, Pai.  Me ensina a chutar?
Respondi, "Não hoje, tenho contas a pagar."
Ele disse, "Tudo bem", e se afastou,
O sorriso do seu rosto não apagou.
Dando a entender,
 
E dizia,
 
 
"Pai, como você quero ser.
Com o senhor vou parecer." 
E "Na-na Neném", e "O Sabão"
"Três Palavrinhas", "Cai-Cai Balão".
   -Quando volta para casa?
   -Filho, não sei não.
   -Mas, encontraremos depois, Filho.
   -Nos divertiremos - depois.  
 
 
 
 
 
Voltou da faculdade  o outro dia.
Agora tão homem, quase não reconhecia,
-Senta ao meu lado, Filho, fale como vai.
Mexeu a cabeça, disse, "Talvez mais tarde, pai;"
-Será que posso emprestar o carro uma hora?
Te vejo logo, logo.  Não tenho tempo agora.
   -Quando volta para casa, Filho?
   -Não sei não, mas encontraremos depois, Pai.
   Nos divertiremos - depois. 
 
 
 
 
 
Faz tempo que eu me aposentei,
Liguei pro meu filho, faz tempo, eu sei.
Disse, "Gostaria de ver você, filhão.
"Respondeu, "Legal, Pai, mas agora, não.
Estou atrasado, o emprego me dá dor,
Mas,  como foi bom conversar com o senhor.
"E, ao devolver o telefone ao gancho, me ocorreu,
Para ser igual a mim, meu filho cresceu.
Meu filho é igual a mim. 
 
 
 
 
E "Na-na Neném", e "O Sabão"
"Três Palavrinhas", "Cai-Cai Balão"
-Quando volta para casa?
-Pai, não sei não.
Mas, encontraremos, depois, Pai.
Nos divertiremos - depois.
 
 
 
 
 

Versão 2

 
 
Meu filhinho chegou o outro dia.
Entrou no mundo como devia.
Segurei-o com as mãos, comecei a chorar,
Logo pegou no meu dedo, aprendeu a caminhar.
E já falava antes de eu reparar.
E dizia, "Pai, como você quero ser.
Com o senhor vou parecer." 

 

 
 
E "Na-na Neném", e "O Sabão",
"Três Palavrinhas", "Cai-Cai Balão",
Papai está em casa, chegou nesta hora,
"Sim, filho, vamos brincar,
Nos divertiremos agora. 

 

 
 
 
Meu filho fez 10 anos o outro dia.
Disse, "Obrigado pela bola", com  tanta alegria.
-Vamos brincar, Pai.  Me ensina a chutar?
Respondi, "Vem filho,  te ensino jogar."
Ele disse, "Tudo bem", foi correr"
O sorriso do seu rosto deu a entender,
"Pai, como você quero ser.
Com o senhor vou parecer." 

 

E "Na-na Neném", e "O Sabão"
"Três Palavrinhas", "Cai-Cai Balão"
 Papai está em casa, chegou nesta hora,
"Sim, filho, vamos brincar,
Nos divertiremos agora.  
 
 
Voltou da faculdade o outro dia.
Agora tão homem, quase não reconhecia,
"Senta ao meu lado, Filho, fale como vai."
Disse, "Que tal sairmos, só nós dois, agora, pai?"
"Os amigos me aguardam, esperam outra hora
-Há tanto pra falar pro senhor, que tal agora." 

 

Meu filho está em casa, conversando toda hora,
Sim, Pai, vamos falar,
Conversemos agora. 

 

 
 
 
Faz tempo já que eu me aposentei,
Liguei para ele, que mora perto, eu sei.
Disse, "Quero conversar contigo, filhão."
Respondeu, "Legal, Pai, mas agora, não;
Tô brincando "Pega-Pega", e Júnior quer pescar,
Que tal o senhor vem nos acompanhar?
E, ao pegar anzol e vara, me ocorreu,
Para ser igual a mim, meu filho cresceu.
Meu filho é igual a mim. 

 

E "Na-na Neném", e "O Sabão"
"Três Palavrinhas", "Cai-Cai Balão,
"Vovô está em casa, brincando toda hora
Sim, Neto,  vamos brincar
Nos divertiremos agora.