9 - Obama, Lula e a Esperança das Nações

OBAMA, LULA E A ESPERANÇA DAS NAÇÕES

                                    Pr. Jenuan Lira (SIBIMA, Fortaleza, CE)*                                     

Dizei entre as nações, o Senhor reina” (Sl. 96:10) 

A euforia em torno da eleição do novo presidente americano é um fenômeno mundial. Essa atmosfera messiânica de um candidato aceito como salvador da pátria já é conhecida por aqui. Com Obama a coisa é outra, pois a pátria a ser salva não o Brasil, mas o mundo.            

O mundo busca uma solução para o seu desacerto. Nada mais natural e aconselhável. Mas será que as pressuposições humanistas garantem mesmo a propagada e desejada mudança do mundo? O anseio mal direcionado da humanidade torna simplista uma solução complexa. Parece que o candidato certo é o caminho para um mundo certo.            

O mundo quer Obama porque vê nele um raio de esperança para soluções dos males globais. Ele é simpático, jovem, conciliador e negro. É o símbolo da conquista humana, da persistência que vence as barreiras. Seu slogan de “Mudança Agora” desperta interesse mundial, pois depois de tantas conferências, tratados, alianças e manobras políticas em nome da paz e do bem comum, o mundo continua o mesmo. A Humanidade caminha de frustração em frustração. Até aqui não temos conseguido. Então, é hora de mudar. É hora de Obama!            

Guardadas as devidas proporções, o que hoje agita o mundo, aconteceu recentemente no Brasil. Se tivéssemos a expressividade da América, o mundo também teria escolhido Lula. Sua mensagem sempre foi de mudança, renovação, honestidade e transparência. Um discurso belíssimo de um metalúrgico graduado na “universidade da vida”. E era tanta a expectativa que até a ignorância era tida como virtude. Ignorância, aliás, que já tem servido de álibi em tempos de mensalão, de perseguição de caseiro, de assassinato de prefeito, etc. O que seria do presidente sem as palavras mágicas “Não sei de nada”!           

Pessoalmente lamento os deslizes dos nossos políticos, mas não fico muito surpreso. Em discursos de campanha cabe tudo.  

Mas minha questão não é a pessoa do presidente Lula, nem do aclamado Obama. Honestamente! Minha reserva é com o Homem, com letra maiúscula, mais do que com qualquer representante da classe. Pois seja ele, seja outro, o apoio e entusiasmo da população não lhe torna imune à inquestionável incapacidade humana de trazer verdadeira mudança.            

Então, tudo está perdido? Não estou dizendo isso! Pois acima de Obama, Lula ou outro governo qualquer  o Senhor reina”, como diz o Salmo 96. Ele é grande, digno de ser louvado, majestoso, forte e santo. Diante dEle a terra treme. Os céus se alegram, a terra exulta e o mar se agita. Ele vem julgar a terra e trazer mudanças verdadeiras. Nesse tempo, o campo se alegrará e as árvores cantarão de júbilo, pois Seu governo é justo e Seu juízo fiel. Então, as nações saberão quem é o Senhor do mundo e tremerão diante da Sua glória. 

Eis a verdadeira esperança das nações, mas muitos ainda não receberam essa boa notícia. E  como ouvirão se não há quem pregue?”. As nações vivem na ilusão do Homem, porque desconhecem a realidade de Deus. Por isso, os que O conhecem devem pôr a mão no arado e partir até os confins da terra obedecendo ao mandado de Cristo. É preciso que se diga às nações que Obama não está fazendo a História. A História já tem Dono. E Seu controle Ele não divide com ninguém.  

O mundo não precisa de um presidente diferente. O mundo precisa de Cristo.              

Dizei entre as nações, o Senhor reina” (Sl. 96:10)  

*Recebi esse texto num e-mail circular do meu amigo, Pr. Jenuan, e achei que é muito bem elaborado, expressando minha opinião sobre eventos importantes mundiais.  Usado com permissão.